Como evitar a retenção de líquido? Por que alguns alimentos incham?

mulher com roupa de academia sentada tomando uma água

Engordou 2 kg no fim de semana? Isso pode ser sinal de inchaço! Saiba como a alimentação influencia a retenção de líquidos e veja como evitar esse problema.

O elástico da meia aperta seus tornozelos, a calça não fecha mais e você aumenta de 2 a 3 kg de uma hora para outra. Pode até parecer que você engordou, mas isso tudo pode ser efeito da retenção de líquido.

Embora o inchaço possa acontecer em dias de muito calor ou depois de uma longa viagem, algumas pessoas, principalmente as mulheres, têm uma tendência maior ao acúmulo de líquidos no corpo.

Esse efeito também está muito relacionado com a alimentação, por isso as dicas para evitar e combater o inchaço incluem desde mudanças na dieta até novos hábitos de vida e a realização de tratamentos.

Como acontece a retenção de líquido?

O edema – termo médico para o inchaço – é resultante do acúmulo anormal de líquidos nos espaços entre os tecidos, o que leva a uma sensação incômoda de intumescimento e a um aumento de medidas.

Constituído por uma mistura de água com sais e proteínas derivadas do plasma sanguíneo, esse líquido pode se acumular em regiões como face, dedos, membros inferiores ou em todo o corpo. As causas para a retenção de líquido são várias, incluindo:

  • Ciclo menstrual: devido à flutuação dos hormônios nos dias que antecedem a menstruação;
  • Fatores ambientais: temperaturas muito elevadas, passar muito tempo em pé, fazer longas viagens de carro, ônibus e principalmente avião;
  • Uso de medicamentos: antidepressivos, anti-hipertensivos, anticoncepcionais, anti-inflamatórios, corticoides etc.;
  • Doenças: insuficiência cardíaca, disfunções renais, problemas no fígado e desequilíbrios da tireoide;
  • Alterações vasculares: varizes (que causam inchaço nas pernas) e a formação de trombos, especialmente em pacientes acamados;
  • Alergias: o corpo reage com o extravasamento de líquido dos vasos para a região afetada na tentativa de combater os efeitos do agente agressor.

A relação entre inchaço e alimentação

Apesar de haver uma infinidade de causas para a retenção de líquido, a maior parte dos casos acontece em função da alimentação. Como regra geral, podemos dizer que, quanto maior a quantidade de sódio presente na dieta, maior será a tendência ao inchaço.

Quando ingerimos muito sal, ele fica mais concentrado no organismo, o que faz com que o sistema nervoso iniba a produção e a eliminação da urina (por meio da ativação do hormônio antidiurético).

Com isso, os líquidos ficam acumulados no corpo, levando a um aumento de peso repentino. Por exemplo, depois de um fim de semana com alguns exageros na alimentação, é possível pesar de a 2 a 3 kg a mais na segunda-feira.

Nesse caso, um aumento tão rápido provavelmente significa retenção de líquido, e não que você realmente engordou. Da mesma forma, uma perda de peso muito rápida (eliminar esses quilos a mais em 1 a 3 dias, por exemplo), também significa que os líquidos foram eliminados.

Confira também – 13 super dicas para uma alimentação saudável e como você deve mudar seus hábitos

representação da retenção de líquido e inchaço nas pernas
fonte: pinterest

Como evitar o inchaço

Algumas vezes, o inchaço é sintoma de um problema de saúde mais sério e pode demandar um tratamento medicamentoso. Porém, é possível evitar a retenção de líquido no dia a dia com a adoção de algumas medidas. Confira:

  1. Evite alimentos que pioram o inchaço

Uma das principais dicas para evitar o acúmulo de líquidos é reduzir ao máximo o consumo de alimentos ricos em sódio, como carnes processadas (presunto, bacon, mortadela), queijos gordurosos, temperos prontos, sopas de pacotinho, fast food e salgadinhos industrializados.

Além disso, é importante substituir o sal por temperos naturais e evitar outros tipos de alimentos que favorecem a retenção, como as massas à base de farinha branca, doces e refrigerantes.

  1. Beba muita água

Pode parecer contraditório à primeira vista, mas, para combater a retenção de líquido, é preciso reforçar a ingestão de água. Quando estamos desidratados, os rins “seguram” ainda mais a urina e, com ela, o sódio, levando ao inchaço.

Por isso, é preciso ingerir pelo menos 2,5 litros de água por dia. A hidratação ainda pode ser complementada por água de coco e chás naturais sem açúcar. Saiba mais sobre a importância da água para o organismo.

  1. Pratique atividades físicas

O inchaço dos membros inferiores pode ter como causa a incompetência do sistema vascular em fazer com que o sangue retorne dos pés, tornozelos e pernas para o coração, em sentido contrário ao da gravidade.

Esse problema pode ser evitado por meio da prática de atividades físicas, principalmente corrida e caminhada, devido à ativação das válvulas localizadas na panturrilha e na sola dos pés, que ajudam a bombear o sangue para cima novamente.

mulher correndo em frente ao mar e céu azul
  1. Tenha cuidados especiais em viagens longas

Ficar muito tempo na mesma posição em um local apertado, como o assento de um ônibus ou de um avião, prejudica a circulação sanguínea nas pernas, o que acaba favorecendo a retenção de líquido.

Por isso, em viagens longas, é recomendável fazer pequenas caminhadas para movimentar as pernas, usar meias elásticas conforme orientação médica, evitar o consumo de alimentos ricos em sódio (como os amendoins) e manter a hidratação do organismo.

  1. Faça sessões de drenagem linfática

Como seu próprio nome indica, a drenagem linfática é uma técnica que estimula a circulação linfática, conduzindo os líquidos de volta aos capilares e em direção aos gânglios, o que permite sua posterior eliminação pelos rins.

Esse movimento também contribui para a remoção das toxinas dos tecidos, oferecendo alívio à sensação de pernas pesadas e formigamento, além de contribuir para o combate da celulite e o próprio relaxamento.

Embora pareça uma massagem simples, a drenagem linfática deve ser feita por profissionais capacitados. Entre em contato com a clínica da Dra. Luciana Pepino para agendar sua avaliação presencial e iniciar o tratamento! Aproveite também para conhecer as diversas opções de procedimentos estéticos e cirurgias plásticas!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. REGINA MARIA PEREIRA disse:

    Ola gostaria de saber se voces fazem cirurgia de palpebra caida.