Realize Seu Sonho Em 2018, Veja Tudo Sobre Redução De Mama!

Redução de Mamas

Mamas volumosas causam dores nas costas e uma série de outros problemas. Entenda tudo sobre a redução de mama e acabe com esse problema

Não podemos negar que ostentar um belo decote com seios volumosos e redondos seja uma das tendências mais fortes do momento. Porém, nem todas as mulheres se sentem bem com isso, seja por estética ou saúde. Felizmente, a redução de mama é uma excelente opção.

As próteses de silicone se tornaram muito populares no Brasil, de forma que os seios grandes tiraram um pouco do destaque que o “bumbum brasileiro” recebia. Seja por estarem mais seguras ou mais acessíveis, as próteses passaram a ser o sonho de muitas mulheres.

Contudo, ter mamas muito volumosas (naturais ou não) pode ser uma grande fonte de problemas na vida de uma mulher. Entre eles, está desde um descontentamento com a aparência até problemas de saúde. Por isso, hoje vamos falar sobre a redução de mama.

Já é possível reduzir as mamas quando o problema é apenas estético

Mamas muito volumosas podem assumir um tamanho desproporcional em relação à silhueta e à estrutura do corpo da mulher. Dessa forma, muitas vezes elas deixam de ser uma parte valorizada para se tornar uma fonte de insegurança ao causar uma desarmonia na imagem.

Mesmo nos casos em que esse é um problema apenas do campo estético, quando ocorre uma desproporção entre mamas, cintura e quadril, a mulher pode apresentar consequências emocionais, limitando sua vida pessoal e social devido à baixa autoestima.

Quando existe uma insatisfação com o tamanho exagerado das mamas, já pode ser indicada a redução de mama com o objetivo de remover o excesso de tecido e dar proporções mais equilibradas aos seios. Assim, a fonte de insegurança estará sanada.

A importância da redução quando as mamas volumosas causam problemas de saúde

Contudo, além dos casos estéticos, existem também mulheres que experimentam alguns problemas de saúde originados pelo peso de mamas tão volumosas. Nesses casos, podem surgir fortes dores nos ombros e nas costas, que culminam em problemas de postura.

Muitas vezes, seios muito grandes atrapalham até mesmo o sono, pois a mulher não consegue encontrar uma posição confortável. Ainda, essa característica pode limitar ou impedir completamente alguns tipos de exercícios físicos, pois ela restringe alguns movimentos.

Com o peso das mamas, também podem aparecer irritações devido à alta compressão exercida pelas alças dos sutiãs, deixando marcas doloridas e esteticamente desagradáveis. Além disso, existe também o problema da flacidez, pois a pele não suporta o peso dos seios.

Em consequência, a mulher que tem mamas muito grandes pode apresentar uma tendência maior a desenvolver irritações e infecções de pele, principalmente a candidíase, nas dobras que ficam abaixo dos seios, pois essa região fica constantemente úmida.

Em todos esses casos, a redução da mama é uma solução eficiente e definitiva para o problema, proporcionando à mulher uma melhor qualidade de vida e melhores condições de saúde em geral.

Redução de mama e mamoplastia redutora

Mamoplastia redutora: conheça a cirurgia para diminuir as mamas

A cirurgia plástica que tem como objetivo diminuir o tamanho dos seios é a mamoplastia redutora, a qual possibilita que a paciente tenha mamas de volume mais confortável anatomicamente falando. Veja quais são os tipos de mamoplastia.

Com esse procedimento, as mamas também ficam mais elevadas e com uma aparência mais jovem, além de ficar bastante simétricas, o que proporciona resultados muito bons quando consideramos a parte estética.

As técnicas utilizadas na redução de mama dependem do volume e do formato dos seios, da quantidade de tecido a ser removido, do grau de flacidez, das características do processo de cicatrização e também do desejo da paciente.

Dessa forma, somente uma avaliação presencial permitirá que o médico determine qual é a melhor técnica para a sua cirurgia. O procedimento costuma durar de 2 a 5 horas, com anestesia local com sedação ou anestesia geral. Veja quais são os cuidados após a cirurgia.

Em geral, o pós-operatório não é tão dolorido, mas é preciso evitar fazer esforço e não erguer os braços acima da linha dos ombros por no mínimo 30 dias. Além disso, a paciente deverá utilizar um sutiã próprio para esse período e manter a microporagem nos locais de incisão.

As cicatrizes podem ser em formato de L ou T invertido, dependendo da flacidez e do volume dos seios. Os resultados definitivos só podem ser avaliados entre 12 a 18 meses depois da cirurgia.

Quem pretende ter filhos pode fazer a redução de mama?

Sim, em geral é possível fazer a mamoplastia redutora em mulheres que ainda não tiveram filhos. Esse é o caso de mulheres jovens ou até mesmo adolescentes que já tenham as mamas completamente formadas e estejam sofrendo problemas de saúde decorrente disso. Inclusive, precisamos desmistificar. Mamoplastia redutora é mais que estética, é questão de saúde.

Nesses casos, o cirurgião plástico adotará técnicas que não impeçam a amamentação futuramente. É importante discutir isso com seu médico, pois alguns métodos podem atrapalhar ou deixar resultados que podem ser prejudicados pela amamentação.

Muitas mulheres se perguntam se é possível manter os resultados de uma redução de mama ao engravidar. A boa notícia é que isso é possível, mas é necessário ter um controle do aumento de peso.

Caso a gestante ganhe muitos quilos, as mamas podem sofrem alterações de tamanho e formato, além de haver mudanças na elasticidade da pele, o que pode prejudicar o resultado da cirurgia e provocar flacidez.

Se você pensa em fazer esse procedimento em 2018, o primeiro passo é buscar um médico de confiança. Consulte uma Clínica de Cirurgia Plástica espA redução de mama é uma plástica segura e que oferece excelentes resultados, resolvendo problemas estéticos e de saúde desde que sejam observados todos os cuidados.

CTA Ainda tem duvidas