11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Quais procedimentos estéticos te impedem de se expor ao sol

Alguns tratamentos podem ser prejudicados com a exposição ao sol, que prejudica o processo de cicatrização. Entenda!

Se você já realizou um ou mais procedimentos estéticos, provavelmente já ouviu do profissional responsável que deveria evitar a exposição solar por pelo menos algum período. 

Isso porque em alguns casos, o sol pode não ser o melhor aliado, prejudicando o processo de cicatrização e até mesmo causando algumas reações na pele que recebeu determinada substância recentemente. 

No entanto, ainda que o profissional indique as recomendações sobre o que pode e o que não pode após realizar um tratamento estético – principalmente quando o mesmo é feito no rosto – algumas pessoas ainda têm muitas dúvidas relacionadas ao assunto. 

Sendo assim, reunimos uma série de informações para que você entenda como funciona em cada um dos casos e quais são os cuidados que devem ser tomados para não prejudicar os resultados. Confira!

Tratamentos que não podem ser feitos no verão

Embora o verão seja considerada uma das melhores épocas do ano, a incidência e a intensidade de raios ultravioleta neste período é maior, o que pode resultar em diversos fatores negativos quando falamos sobre procedimentos estéticos. 

Ainda que seja a época de maior procura por tratamentos que deixem o corpo e o rosto mais bonitos, pode não ser o momento mais indicado para realizar determinados procedimentos. 

Com a presença constante do sol, fica mais difícil se esquivar ou até mesmo não se expor, sendo indicado que alguns tratamentos sejam realizados ainda no inverno. 

Dentre aqueles que NÃO podem ser feitos, podemos destacar:

Peeling

Por promover a descamação da pele, o peeling a deixa mais sensível à ação dos raios solares, o que pode resultar em manchas ou até mesmo queimaduras. 

Tratamento com ácidos

Da mesma forma, os ácidos provocam um processo de descamação na pele, deixando-a suscetível a queimaduras solares e manchas posteriores. 

Depilação à laser ou luz pulsada

Recomenda-se que quem realiza procedimentos como a depilação à laser ou luz pulsada 10 dias antes e 10 dias depois do tratamento, pois o sol pode causar manchas escuras na região depilada. 

Carboxiterapia

Com a infusão de gás carbônico na pele, formam-se pequenas pontos arroxeados que, se expostos ao sol, podem gerar manchas maiores, prejudicando a aparência da paciente. 

Micropigmentação 

Por se tratar de uma ‘ferida’ na pele, o processo de cicatrização da micropigmentação pode ser prejudicado se exposto ao sol.

O que fazer nesses casos?

Embora existam procedimentos estéticos que não devem ser realizados quando a paciente pretende se expor ao sol, também existem opções que não possuem nenhuma contraindicação em relação à isso.

Dentre eles, podemos destacar o botox, a drenagem linfática, limpeza de pele, preenchimentos faciais e até mesmo a criolipólise são alguns exemplos de tratamentos liberados mesmo no verão. 

Vale ressaltar que é necessário sempre consultar um profissional qualificado para garantir não só bons resultados, mas também que o procedimento realizado seja o mais indicado para o seu caso.

 

Faça parte do nosso grupo no Telegram e fique por dentro do dia a dia da clínica, além de informações exclusivas sobre beleza, bem-estar e eventos que só vão acontecer para este canal.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).