11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

6 mitos e verdades sobre cirurgia íntima

mitos da cirurgia intima

A cirurgia íntima, também conhecida como ninfoplastia, tem tido cada dia mais procura nos consultórios de cirurgia plástica. Contudo, apesar do aumento na popularidade do procedimento, ele ainda desperta muitas dúvidas e está carregado de mitos. É possível perder a sensibilidade da região após a cirurgia? Vou ficar virgem novamente? Preciso ficar dias sem me sentar?

Para desmistificar o assunto e esclarecer essas e outras dúvidas, listamos 6 mitos e verdades sobre a cirurgia íntima e o pós-operatório. Ficou interessada? Então continue a leitura.

1. A cirurgia íntima deixa a paciente virgem novamente

Mito. A reconstrução do hímen é um procedimento cirúrgico diferente e não apresenta impacto estético. Já a ninfoplastia é uma cirurgia íntima externa que remove o excesso de pele dos pequenos lábios da vulva, deixando uma aparência mais harmoniosa e possibilitando que a paciente se sinta mais confortável ao vestir roupas justas e durante as relações sexuais.

2. O pós-operatório é dolorido

Mito. Na verdade, a reabilitação pós-operatória costuma ser uma etapa bastante tranquila e praticamente sem dores. A maioria das pacientes nota um pequeno edema na região, no entanto, o inchaço tende a regredir dentro de 2 semanas. Uma vantagem no pós-operatório é que os pontos são absorvíveis, ou seja, não é necessário voltar ao médico para retirá-los.

3. É possível perder a sensibilidade na região

Mito. Como em todos os tipos de cirurgia, é comum que a região operada tenha a sensibilidade afetada durante o pós-operatório, no entanto, após a melhora do inchaço e a completa cicatrização, a sensibilidade da região volta ao normal.

É importante frisar, contudo, que o clitóris, responsável pela maior parte do prazer sexual feminino, não é afetado na cirurgia íntima, portanto, a operação não influencia a sensibilidade durante o ato sexual.

4. Existem restrições no pós-operatório

Verdade. Embora seja uma cirurgia relativamente simples, é importante seguir as recomendações feitas pelo médico. A paciente pode se sentar sem restrições após o procedimento e voltar ao trabalho, retomando suas atividades habituais após 3 dias de recuperação. No entanto, existem algumas restrições:

  • não utilizar roupas justas e calças jeans durante os primeiros 30 dias;
  • relações sexuais só estão liberadas após 30 dias;
  • atividades físicas só são permitidas após 15 dias;
  • mar e piscina devem ser evitados nos primeiros 15 a 21 dias.

5. A cicatriz é discreta e quase não dá para perceber

Verdade. Se a cirurgia for feita corretamente e realizada por profissionais qualificados, as cicatrizes geradas são imperceptíveis e não é possível perceber que a paciente passou por uma cirurgia íntima.

6. A ninfoplastia é um procedimento puramente estético

Mito. Apesar de muitas mulheres recorrerem a esse tipo de procedimento por insatisfações estéticas, existem casos em que o tamanho dos pequenos lábios vaginais causa desconforto e até mesmo dor durante as relações sexuais.

A cirurgia íntima é um procedimento relativamente simples, indicado para pacientes que apresentam os pequenos lábios vaginais desproporcionalmente aumentados e buscam reduzi-los para melhorar o aspecto estético e evitar desconfortos físicos e emocionais.

Quer saber mais sobre o assunto? Confira também nosso post com alguns motivos para optar pela ninfoplastia.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).