Dormir ou ficar acordada durante a cirurgia? Descubra a anestesia ideal

anestesia

Anestesia, saiba se é preferível dormir ou ficar acordada durante um procedimento cirúrgico.

As cirurgias plásticas nunca foram tão apreciadas por homens e mulheres do mundo todo. No Brasil, elas estão ganhando cada vez mais popularidade e o que, antes, era algo fútil e que não fazia parte da realidade de grande parte dos brasileiros.

Hoje, principalmente depois dos processos de sofisticação experimentados pela medicina moderna. As cirurgias plásticas se tornaram uma alternativa acessível e que tem ajudado muitas mulheres – e homens – a corrigir anormalidades ou assimetrias no corpo. Bem como melhorar a aparência de suas curvas para seguir em frente com muito mais autoestima e motivação para as atividades do dia a dia.

O fato é que, quando se fala sobre qualquer tipo de cirurgia. Mesmo que se trate de algo que visa o embelezamento do corpo, muita gente tem receio. A anestesia geral é um exemplo disso e afasta muita gente da mesa de operação.

Medo da anestesia ou da cirurgia?

anestesia geral

Dados revelados em um estudo feito pela Sociedade Americana de Anestesiologia indicam que cerca de 25% dos pacientes adiam a data das cirurgias por medo de complicações. Enquanto que mais de 35% concentram sua preocupação nas técnicas utilizadas nas cirurgias.

Há também aqueles que não têm medo apenas da anestesia e da cirurgia em si. Mas também de acordar durante a operação ou de não despertar mais após o procedimento cirúrgico. O fato é que não deve haver motivos para pânico, segundo especialistas.

A preparação dos procedimentos cirúrgicos está cada vez mais sofisticada e as taxas de mortalidade associadas à anestesia sofreram uma enorme queda nos últimos 20 anos: duas mortes por 15 mil anestésicos elaborados para um óbito por 300 mil, de acordo com a instituição.

Quando há problemas mais graves, as causas não estão diretamente relacionadas com a cirurgia em si, mas com problemas respiratórios, cardíacos ou alérgicos. No entanto, mesmo assim, são registrados pouquíssimos casos de complicação grave, visto que, além dos avanços das máquinas e equipamentos utilizados durante a operação, há um monitoramento contínuo do paciente.

Durante os 10 últimos anos, houve uma grande evolução na área e as anestesias passaram a garantir mais qualidade e segurança. Além de terem facilitado a realização dos procedimentos e a recuperação dos pacientes.

Dormir ou ficar acordada?

anestesia peridural

Em geral, procedimentos menores permitem que a paciente se mantenha acordada. Um ponto a ser frisado é o nervosismo na hora de passar pela cirurgia. Se a paciente tem medo de hospitais, sangue ou injeções, por exemplo, ela não tem o perfil ideal para fazer a operação acordada.

Quando a pessoa é muito ansiosa e fica apreensiva durante uma cirurgia. Sua pressão sanguínea tende a subir, bem como sua frequência cardíaca. Isso tudo vai trazer desconforto para a paciente. Além de dificultar o trabalho do cirurgião. Que necessita de concentração e tranquilidade para o sucesso da cirurgia. O ideal é passar pelo procedimento sempre dormindo.

Vale lembrar que dormir durante a cirurgia plástica não quer dizer necessariamente ter que submeter a anestesia geral. Ser intubado e ficar a mercê de aparelhos. Hoje é possível anestesias como local e bloqueios (anestesia peridural e anestesia raquidiana) todas sob sedação. Onde a paciente dorme antes de receber a anestesia.

O melhor disso é dormir e só acordar já operada, muitas vezes achando que ainda nem começaram a cirurgia. Mágico, não?! Mas não é magia. É anestesia!

Você também pode gostar de: Anestesia: Mitos e Verdades.

Conheça mais sobre: Anestesia

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp