11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Preenchimento labial e vacina da Covid-19: entenda a relação e os principais cuidados

O que preciso saber sobre o preenchimento labial?

Descubra os cuidados para recorrer ao preenchimento labial na pandemia do coronavírus

O preenchimento labial acontece por meio de uma agulha ou cânula que são utilizadas por um cirurgião plástico ou dentista especializado com a finalidade de modificar o contorno, aumentar o volume da região ou projetá-los para frente. 

Este procedimento estético não é invasivo, chegando a não ser considerado uma cirurgia plástica e podendo ser realizado diretamente no consultório médico.

Existem três tipos principais de preenchimento labial, os que são temporários, os considerados semipermanentes e os permanentes. O que muda em cada caso é a escolha da substância a ser aplicada nos lábios do paciente. 

Nos preenchimentos temporários o ácido hialurônico ou a gordura autógena são as substâncias escolhidas. Já no semipermanente, é utilizado a hidroxiapatita de cálcio e poli lactona e no permanente usa-se o silicone PMMA ou metacrilato para preencher os lábios.

Apesar de ser considerado um procedimento totalmente seguro, quando feio por um profissional devidamente qualificado para tal, nos últimos meses foram identificadas algumas reações adversas em pessoas que fizeram o procedimento e tomaram a vacina do Covid-19.

Separamos algumas informações para que você possa se tranquilizar e entender melhor quais são as relações e os principais cuidados. Acompanhe com a gente a seguir!

Preenchimento labial e vacina da Covid-19

Preenchimento labial tem relação com a vacina da Covid-19?

 

Em um estudo realizado recentemente pela Food and Drug Administration (FDA), agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos, identificou algumas possíveis reações adversas causadas especificamente pela vacina Moderna contra a Covid-19 em pessoas que possuem preenchimento labial ou preenchimento facial. 

Entre os 300 voluntários para o estudo, os efeitos adversos foram observados em 3 pessoas que tinham feito o preenchimento dias antes da vacinação.

Dentre os efeitos encontrados, inchaço e inflamação foram os principais e conseguiram ser tratados por meio de anti-inflamatório com ingestão a curto prazo. 

Uma nota de esclarecimento foi divulgada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) após a divulgação dos estudos e, segundo a SBCD, as reações são consideradas de baixa probabilidade e normais pela estimulação do sistema imunológico causada pela vacinação. 

Por serem efeitos que reagem muito bem aos tratamentos disponíveis no mercado e de fácil acesso à população geral, as reações leves não configuram uma contraindicação para o recebimento de qualquer tipo de vacina. 

A nota de esclarecimento da SBCD deixa clara a importância da imunização contra a Covid-19, sendo os benefícios muito maiores do que as possíveis complicações ou efeitos adversos causados pelo preenchimento labial ou facial.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).