Facelift: saiba mais sobre a técnica que promete rejuvenescer o seu rosto!

Mulher olhando através da janela

Também conhecido como lifting facial procedimento é indicado para combater diversos sinais de envelhecimento na face.

O rejuvenescimento facial é uma expectativa para muitas pessoas e, por meio de técnicas modernas e seguras, torna-se cada vez mais acessível.

Uma dessas opções é o facelift, que apesar de menos conhecido por esse nome está entre os procedimentos mais realizados. Ficou curiosa? Então confira o que é facelift a seguir!

O que é facelift?

O envelhecimento facial é causado pela flacidez decorrente da diminuição da produção de colágeno. Com isso, a tendência com o passar dos anos é o surgimento de rugas e sulcos, devido a perda de gordura, e também a intensificação das linhas de expressão, deixando o rosto mais marcado.

Você deve estar se perguntando, o que é facelift afinal? É a cirurgia plástica que visa a correção desses problemas, promovendo a amenização dos vincos e sulcos, o levantamento do rosto e a melhor definição do contorno facial.

O lifting facial, como também é chamado, contempla as regiões das pálpebras, da área T que inclui nariz e testa, mandíbula e pescoço. Ainda assim, a cirurgia pode ser de diferentes tipos, como:

  • lifting temporal com foco no levantamento da região da cauda da sobrancelha;
  • lifting frontal, com foco na região da testa, amenizando rugas e linhas de expressão dessa área;
  • lifting cervicofacial, mais próximo do procedimento tradicional para tratar da flacidez da face e região do pescoço.

Portanto, o facelift pode desdobrar-se nesses diferentes procedimentos com o objetivo de combater especificamente as insatisfações do paciente, tornando a técnica mais personalizada e eficiente.

Quando o facelift é indicado?

Para compreender o que é facelift é preciso entender que se trara de uma cirurgia com foco em problemas mais severos da aparência. Assim, a recomendação da técnica é principalmente para pessoas nas quais procedimentos menos invasivos não apresentam resultados satisfatórios.

Por essas razões, o facelift costuma ser recomendado para pacientes com mais de 40 anos ou quando outros fatores contribuíram para um envelhecimento facial precoce, como exposição solar, genética, maus hábitos etc.

O tratamento é o mais recomendado para pacientes que sofrem com flacidez facial excessiva que faz com que o contorno facial seja perdido.

Como a técnica é realizada?

Mulher jovem com a mão no rosto

A técnica de facelift tem início com a aplicação da anestesia que pode ser local com sedação ou geral, dependendo da preferência do paciente e cirurgião plástico responsável. Em seguida, o médico realiza incisões na linha próxima ao couro cabeludo, o que propícia uma cicatriz mais discreta posteriormente.

O médico faz o descolamento da pele dos músculos conforme as marcações previamente desenhadas. Alguns pontos são dados na musculatura para minimizar a flacidez das estruturas faciais. Posteriormente a pele é reposicionada e cirurgião faz a retirada dos excessos.

Em alguns casos, quando o grau de flacidez no pescoço é muito elevado, o médico poderá optar por realizar uma incisão abaixo do queixo para fazer a correção dessa musculatura. Também é possível associar uma lipoaspiração à técnica para retirada da papada.

A cirurgia tem duração entre 4 e 5 horas, dependendo da extensão das alterações feitas, e o paciente deverá permanecer internado entre 12 e 24 horas.

Como é a recuperação do procedimento?

Finalizada a cirurgia, o cirurgião plástico faz um curativo em formato de capacete para proteger os pontos e dar segurança à estrutura. Esse curativo deve ser retirado entre 24 e 28 horas. Dependendo do acúmulo de líquido pode ser necessário usar um dreno no pós-cirúrgico imediato.

Em geral, o facelift não é um procedimento que resulta em dor intensa, no entanto, o paciente poderá relatar desconforto inicial. O médico vai prescrever analgésicos que podem ser usados para amenizar esse quadro.

Como qualquer procedimento cirúrgico, poderá ocorrer hematomas, acúmulo de líquido e inchaço, de forma que sessões de drenagem linfática facial sejam recomendadas para minimizar essas ocorrências e acelerar o processo de cicatrização.

Em geral, a redução do inchaço e edemas permite que os primeiros resultados possam ser observados entre duas e três semanas após o procedimento. A acomodação total dos tecidos e cicatrização, entretanto, pode demorar entre três e seis meses.

Quais as contraindicações?

Assim como outros procedimentos cirúrgicos, o facelift não é recomendado para pacientes que apresentam doenças prévias, como diabetes, hipertensão ou cardiopatias. Além disso, uma idade avançada pode prejudicar a indicação da técnica.

O lifting facial também não é recomendado para pacientes muito novos, pois a técnica não tem resultados preventivos contra o envelhecimento facial, submetendo desnecessariamente o paciente a um procedimento invasivo.

Outra contraindicação do facelift é quando o cirurgião plástico identifica que o paciente não está em plenas condições psicológicas de realizar o procedimento, alimentando expectativas que não condizem com a realidade.

Com esse conteúdo você pôde entender o que é facelift, como ele é realizado e as indicações da técnica. Caso tenha interesse em realizá-la é importante procurar uma clínica especializada de cirurgia plástica de confiança e descobrir quais são os procedimentos estéticos mais indicados para o seu caso!

Agende agora a sua consulta!

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).