11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

O que é a mamoplastia redutora?

Conheça a mamoplastia redutora

Entenda como funciona a mamoplastia redutora e quando esta técnica é indicada

Como o próprio nome sugere, a mamoplastia redutora é indicada para mulheres que desejam reduzir o tamanho dos seus seios. Não apenas diminuir o tamanho, este tipo de procedimento remodela o formato e o posicionamento das mamas, fazendo com que o corpo da paciente seja mais harmônico e proporcional. Liberada para qualquer pessoa com idade superior aos 18 anos, a mamoplastia redutora vem melhorando a autoestima e segurança de mulheres há décadas.

Com recuperação total alcançada em aproximadamente um mês, este tipo de procedimento necessita de cuidados específicos no pós-operatório e a utilização de sutiã 24 horas ao dia é essencial. Os pontos da cirurgia são, na sua maioria, internos e absorvíveis pelo corpo, os poucos externos podem ser retirados de 7 a 14 dias após o procedimento. Entenda como é realizada a cirurgia e os casos em que ela é indicada a seguir:

Como é realizada a mamoplastia redutora?

O pré-operatório da mamoplastia redutora demanda a realização de exames de sangue e mamografia para analisar a região e ajustar as doses de medicamentos no pós-operatório. É recomendado também que remédios como aspirina ou anti-inflamatórios sejam evitados antes da cirurgia, além da solicitação de parar de fumar por ao menos 1 mês antes do procedimento.

A cirurgia dura cerca de duas horas e neste período a profissional escolhida para realizar as técnicas de mamoplastia redutora realizará a remoção do excesso de gordura, de tecido mamário e de pele do local. Após a redução, a cirurgiã reposicionará a mama e diminuirá o tamanho da aréola, buscando deixar as mamas o mais natural e proporcional possível. É necessário a internação de ao menos uma hora depois do procedimento.

Quais são as suas indicações?

Seios grandes demais para a estatura da mulher podem causar graves problemas de saúde. Dores nas costas, nos ombros e no pescoço; má postura; feridas advindas da utilização de sutiãs e graves problemas na coluna são exemplos de consequências negativas relacionadas ao tamanho desproporcional das mamas. Nestes casos a cirurgia redutora não é só indicada, mas necessária para melhora do dia a dia da paciente.

Outras indicações estão relacionadas à problemas psicológicos e emocionais ligados aos seios grandes. Baixa autoestima, falta de confiança, problemas em socializar e até dificuldade em vestir-se como deseja são questões comuns que levam as mulheres a procurarem pela mamoplastia redutora. Por problemas médicos ou não, estes procedimentos auxiliam na aceitação e bem-estar de inúmeras pacientes em todo o Brasil.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).