Medicamentos e cirurgia plástica

medicamentos e cirurgia plástica

Entenda os motivos dos quais é importante listar todos os remédios consumidos ao cirurgião

Dependendo do tipo de medicamentos, eles podem comprometer o decorrer da operação de uma cirurgia plástica, como também os resultados durante o pós-operatório. Para você ter uma ideia, o consumo de aspirina pode atrapalhar a coagulação correta do sangue e criar obstrução dos vasos sanguíneos. Assim como o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas, os remédios também podem ser vilões da sua saúde antes e depois da operação e a melhor coisa a se fazer é saber como se prevenir.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, os antidepressivos e os calmantes podem afetar os efeitos das anestesias e causar sangramentos, problemas renais, hepáticos ou alérgicos. Para evitar riscos que podem comprometer a cirurgia plástica, o paciente pode listar para o médico todos os medicamentos que consome com frequência, até aqueles mais esporádicos como, justamente, a aspirina.

Fique ligado: medicamentos que tiverem na fórmula o ácido acetilsalicílico precisam ter o consumo interrompido, pois também podem afetar o efeito das anestesias. Quem também precisará de interrupção são os medicamentos de emagrecimento.

Outros medicamentos a serem evitados

Vitaminas como as de tipo E podem afetar os resultados do Botox® e de preenchimentos faciais, por exemplo, e o médico pedirá que o consumo seja interrompido. O mesmo vale para anti-inflamatórios. Atualmente, até o ginseng, um remédio natural, é vetado pelos cirurgiões plásticos, pois pode comprometer a coagulação do sangue e acarretar hemorragias.

O médico deverá ser responsável em analisar o quadro do paciente quanto aos medicamentos que ele consome para listar condições e características para que a segurança seja mantida. De uma maneira geral, o consumo de qualquer medicamento deve ser interrompido meses antes da realização da cirurgia plástica, salvo aqueles que são voltados para o controle da saúde do coração, da pressão e da insulina, mas que devem ter o consumo informado ao médico.

É importante não se esquecer de avisar o profissional sobre os medicamentos que possui alergia, pois as anestesias podem não ter o efeito esperado por causa deles.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp