11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Mastopexia de substituição tire todas as suas dúvidas

Especial sobre mastopexia de substituição

Conheça como funciona a mastopexia de substituição e quais as indicações dessa cirurgia plástica

Atualmente existem diferentes cirúrgicas plásticas com foco na alteração da estética das mamas, como a mamoplastia de aumento e, mais recentemente, a mastopexia de substituição.

A insatisfação estética com os seios faz com que a mamoplastia de aumento seja uma das cirurgias plásticas mais realizadas do país, com mais de 288 mil cirurgias apenas em 2016 de acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).

As alterações nas mamas podem ocorrer por diferentes razões, como fatores hormonais, gravidez, amamentação e também envelhecimento. Entender quais as opções de tratamento é essencial escolher qual melhor se adequa às suas necessidades.

O que é a mastopexia de substituição?

A mastopexia é uma cirurgia plástica focada na correção de insatisfações com a flacidez ou caimento dos seios, o que pode ter relação com a idade ou múltiplas gestações mesmo em mulheres para as quais o tamanho dos seios nunca foi um problema anteriormente.

Nesse procedimento tradicional, o cirurgião plástico faz a remoção de uma parte da sobressalência de pele, das glândulas mamárias e da gordura. Em alguns casos, a técnica ainda é associada à colocação de uma prótese mamária com pouco volume.

Na mastopexia de substituição a proposta da cirurgia plástica é uma remoção maior dos tecidos, como glândulas e gordura, o que permite a colocação de uma prótese de silicone de volume maior.

Como o procedimento é realizado e quais seus benefícios?

A realização da mastopexia de substituição tem início como uma mamoplastia normal, com a incisão cirúrgica para remover parte dos tecidos e colocar a prótese.

A principal diferença é que uma quantidade maior da glândula mamária é removida para que haja espaço para colocação de uma prótese de silicone maior. Em geral, essa prótese é inserida abaixo do músculo uma vez que o volume será maior e necessitará maior suporte.

Em seguida é feita a sutura e fechamento da incisão cirúrgica e a paciente deverá realizar o pós-operatório conforme às orientações da equipe médica. Algumas vantagens dessa técnica incluem:

  • seios mais definidos, firmes e com o tamanho desejado sem flacidez;
  • redução da flacidez mamária e também das chances de caimento dos seios no futuro;
  • redução das chances de câncer de mama em decorrência da remoção de parte significativa da glândula mamária;

 

Portanto, são diversos benefícios associados à realização da mastopexia de substituição, mas é preciso que a paciente avalie se essa realmente é a melhor opção para ela, já que também existem desvantagens como:

  • dificuldade na amamentação, pela maior remoção de tecido mamário
  • não tem indicação em pacientes acima do peso, que possuem desta forma uma maior cobertura de gordura em toda a região da mama, que não é possível a remoção.
  • maiores chances de complicações na cicatrização das aréolas, pela maior remoção dos tecidos e lesão vascular pela retirada.
  • não tem indicação em flacidez muito intensa, com aréolas muito baixas, podendo ser indicada a realização em 2 tempos (primeiro a redução importante da mama e meses depois a inclusão das próteses)
  • em caso de necessidade de remoção futura dos implantes, não haverá muito volume mamário.

Quando recorrer à mastopexia de substituição?

A realização da mastopexia de substituição deve ser conversada com um cirurgião plástico de confiança expondo as motivações para realizar a cirurgia, quais as atuais insatisfações com os seios e planos futuros.

O especialista fará uma avaliação tanto da condição física quanto emocional da paciente e vai fazer algumas ponderações relevantes.

Por exemplo, como a mastopexia de substituição envolve a remoção de parte significativa da glândula mamária a mulher não deve ter anseios de amamentar no futuro.

Outro aspecto relevante é que será necessário manter a prótese de silicone para manutenção do volume dos seios, visto que com a remoção dos tecidos, os seios ficaram menores do que antes se a paciente optar pela remoção da prótese.

Essas considerações do especialista são importantes para uma decisão consciente e bem informada sobre a mastopexia de substituição. Converse com um profissional de sua confiança e agende a consulta aqui!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).