11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira das 8h às 21h
Sábados das 10h às 14h

Existe idade limite para realizar uma cirurgia plástica?

Limite de idade para cirurgia plástica

Saúde é o fator mais relevante na recomendação da cirurgia plástica na terceira idade

Com o aumento da expectativa de vida as pessoas têm buscado sentirem-se bonitas e bem dispostas independentemente da idade, o que leva a um aumento da procura por cirurgia plástica na terceira idade.

Não é incomum encontrar pessoas que gostariam de fazer uma mudança estética, mas acreditam que pela idade já não podem mais se submeter a um procedimento do tipo.

A seguir esclarecemos todas as questões relacionadas ao assunto. Confira!

Existe idade mínima ou máxima para realizar uma cirurgia plástica?

A indagação quanto a idade mínima ou máxima para uma cirurgia plástica é frequente nos consultórios.

Independente da idade, o principal fator avaliado pelo cirurgião plástico para recomendar ou não uma intervenção estética é o estado de saúde da paciente.

Dessa forma, pode acontecer de uma cirurgia não ser indicada para uma paciente de 40 anos com a saúde debilitada e o mesmo procedimento poder ser realizado em uma pessoa com 60 anos.

Outro fator importante a ser considerado é o procedimento que será realizado. Por exemplo, a otoplastia, cirurgia para correção da orelha de abano e outros fatores estéticos na orelha, pode ser realizada a partir dos 5 anos, quando essa estrutura já está completamente desenvolvida.

Já um procedimento como a mamoplastia pode ser realizada a partir dos 16 anos, mas recomenda-se esperar pelo menos até os 18 anos para ter mais certeza quanto à realização da técnica.

Também é preciso considerar as particularidades das cirurgias plásticas funcionais. Por exemplo, a redução de mama pode ser indicada antes dos 18 anos se o tamanho dos seios estiver comprometendo outros aspectos da saúde da paciente.

Portanto, é fundamental entender que cada caso é particular, sendo necessário que o cirurgião plástico de confiança o avalie em toda a sua complexidade e considere as diferentes variáveis.

Como funciona a cirurgia plástica na terceira idade?

Devido a crescente procura e interesse vamos abordar aqui mais detalhes sobre a cirurgia plástica na terceira idade, informando precauções e recomendações para esses casos.

Pré-operatório

O pré-operatório da cirurgia plástica na terceira idade deve ser mais minucioso do que em outras faixas etárias para garantir que a paciente esteja apta à intervenção.

Nesse caso, o cirurgião plástico pode solicitar exames adicionais além daqueles padrões do pré-operatório, como de sangue, cardíaco e de urina.

Por exemplo, o teste ergométrico revela se a paciente está em condições físicas de se submeter a uma cirurgia, caso ela não passe nessa avaliação indica que a intervenção cirúrgica não é segura e, portanto, não é recomendada.

Se a paciente da terceira idade tiver problemas de locomoção podem ser contraindicadas algumas técnicas como cirurgias no abdômen ou nas mamas, mas podem ser feitas cirurgias plásticas faciais, como o lifting facial e a blefaroplastia.

No caso de pacientes com mais idade, hábitos prejudiciais como tabaco e consumo de bebida alcoólica são ainda mais críticos para indicação da técnica.

Além disso, pacientes com diabetes e hipertensão devem ter uma avaliação mais criteriosa para verificar se essas patologias estão controladas.

Benefícios da cirurgia plástica para idosos

Execução da técnica

A execução da cirurgia plástica na terceira idade também pode ser diferente de acordo com a avaliação do cirurgião plástico. Entre os aspectos que devem ser considerados destacam-se:

  • a paciente deve permanecer o menor tempo possível sob efeito da anestesia, sendo importante reduzir o tempo cirúrgico;
  • em geral, o cirurgião optará por técnicas cirúrgicas menos invasivas que causam um trauma menor;
  • em pacientes da terceira idade não é possível reunir procedimentos em uma mesma intervenção, precisando ser realizadas cirurgias separadas.

Entre os motivos que justificam essas diferenças na execução das técnicas é porque essas pacientes têm uma circulação sanguínea dificultada, o que torna o processo de cicatrização mais demorado.

Devido à cicatrização, os especialistas optam por realizar menores descolamentos de pele, facilitando a recuperação posterior.

Pós-operatório

Pelo mesmo motivo apresentado, o pós-operatório da cirurgia plástica na terceira idade é mais longo e esse aspecto deve ser respeitado pela paciente que está em busca de bons resultados e menores chances de complicações.

Com o avanço da idade, as células tornam-se mais lentas e a renovação celular é menor, o que implica em um processo de cicatrização mais longo.

No entanto, devido à pele ser mais fina, um benefício da cirurgia plástica na terceira idade é uma cicatriz mais fina e discreta.

Outros cuidados que deverão ser tomados no pós-operatório incluem uma dieta saudável, manutenção de bons hábitos, fazer o repouso pelo período recomendado e utilizar técnicas aliadas, como a drenagem linfática.

Portanto, se quer fazer uma cirurgia plástica, converse com um cirurgião plástico de confiança. A idade não é um impedimento para procedimentos estéticos desde que a saúde esteja em dia.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).