Menu

Dicas e truques além do desodorante!

Aprenda a eliminar de vez o mau odor nas axilas.

Quem nunca recebeu um convite de última hora para esticar a noite depois do trabalho e ficou preocupado se o desodorante iria dar conta do recado? Ainda mais se a programação inclui muito movimento, como sair para dançar, por exemplo. O fato é que nem todos os desodorantes conseguem prolongar seu efeito por tanto tempo. Descubra agora dicas valiosas de como cuidar do mau cheiro das axilas e ficar despreocupado ao longo do dia.

Por que o mau odor acontece?

A primeira coisa que você precisa saber é que, na maioria dos casos, o mau odor não é resultado de uma péssima higiene. Ele pode ter origem glandular e hormonal. Além disso, nossa axila é um terreno fértil para bactérias, pois é uma região do corpo que acumula mais água, gordura e minerais. Essas bactérias são responsáveis pelo mau cheiro e podem vir de roupas ou de pessoas que estejam próximas a você! O mais importante é entender que esse problema pode ser tratado naturalmente com novos hábitos que, aplicados diariamente, minimizam o suor e a probabilidade de ter esse incômodo presente em sua rotina. Confira, a seguir, algumas dicas de tratamento.

Nossa higiene de cada dia.

Em primeiro lugar, lave muito bem as axilas. Tome cuidado com os sabonete que você utiliza, pois alguns têm um cheiro muito forte e fazem com que você produza suor mais rápido, piorando o odor. A melhor opção é o uso de um sabonete neutro ou bicarbonato, utilizados para combater o mau odor. Aplique, após o banho, com a ajuda de um algodão, uma mistura de bicarbonato de sódio com suco de um limão. Fazendo isso durante alguns dias, o mau odor diminuirá gradativamente até ser eliminado por completo.

A roupa também influencia.

O uso de roupas inadequadas também influencia no aparecimento do mau cheiro, pois existem alguns tecidos que podem nos fazer suar em demasia. Por exemplo, pessoas que já têm antecedentes devem evitar usar roupas muito apertadas, pois elas impedem que a pele respire de forma adequada. Logo, é melhor optar por tecidos naturais, evitando roupas de tecidos sintéticos. As cores também são um fator a ser considerado. O preto, por exemplo, estimula a produção de suor.

Boa alimentação e cuidados com a saúde.

Mesmo que normalmente esse fator não seja considerado, a alimentação também tem muito a ver com o mau cheiro nas axilas. Por exemplo, consumir frequentemente cebola, alho, café e bebidas alcoólicas fará com que o cheiro do suor se torne muito mais forte. No entanto, optando pelas frutas e verduras será possível amenizar este efeito. O cigarro também está incluído nisso, já que destrói a pele e estimula nosso organismo a produzir um suor com cheiro mais desagradável.

Depilação também é higiene!

Manter o pelo das axilas é uma das grandes causas do mau cheiro e, além de ser esteticamente mais desagradável aos olhos, essa condição permite a proliferação de bactérias e fungos, que como já mencionamos anteriormente, está entre os principais causadores do problema.

Uso de antitranspirantes.

Os desodorantes só servem para encobrir o mau cheiro impregnado na pele, mas não combatem realmente a sudoração excessiva. Em contrapartida, o antitranspirante controla o excesso de suor e o mau cheiro. Recomenda-se, porém, alternar quanto ao uso do mesmo, uma vez que o antitranspirante pode trazer problemas à saúde, se usado constantemente.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).