11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Substituir pão por tapioca: será que ajuda mesmo a diminuir carboidrato?

substituir pão por tapioca

Substituir pão por tapioca. Entenda se esse substituto ideal para o seu café da manhã pode ser uma alternativa para aqueles que estão pensando em cortar os carboidratos da dieta

Está na moda comer tapioca. Jornais, revistas e programas de TV têm falado cada vez mais sobre esse alimento que mais parece uma espécie de coringa na sua cozinha. Ele pode servir como lanche no café da manhã ou antes de ir para a academia. Bem como pode ser ingerido no fim do dia, até mesmo como um substituto do jantar.

Pelo menos é exatamente assim que as inúmeras receitas de tapioca têm tentado apresentar o produto. Como uma alternativa saudável para quem tem pouco tempo a perder no preparo das refeições. Mas será que vale mesmo a pena substituir pão por tapioca se o seu objetivo é diminuir carboidratos? Vamos conhecer um pouco mais sobre os dois alimentos antes de chegar a essa resposta.

como fazer tapioca

Substituir alimentos: uma atitude inteligente

Esse é um ponto em que muitas mulheres acabam se perdendo no início de uma dieta. A ideia de ter uma alimentação saudável não é deixar de comer. Mas sim substituir determinados alimentos por outros que sejam mais ricos em nutrientes e vitaminas benéficas para o seu corpo. No caso da tapioca em relação ao pão. É preciso saber de que tipo de pão estamos falando e saber substituir pão por tapioca.

Se o comparativo direto for com o pão branco, por exemplo, a tapioca leva vantagem. Para um café da manhã light, deixar de lado o pão branco e apostar em uma tapioca bem preparada é a escolha perfeita. Isso acontece porque o pão branco é proveniente de um tipo de farinha refinada pobre em nutrientes (minerais e vitaminas).

Para piorar o cenário, o pão branco é rico em glúten. Uma substância conhecida por conter proteínas de difícil digestão para o intestino – daí o motivo de você ficar com aquela sensação de estar estufada depois de comer pão. Já no caso de um comparativo com pão integral. O pão leva uma ligeira vantagem por possuir fibras, algo que a tapioca não tem.

Afinal, o que é a tapioca?

A tapioca é uma farinha feita à base de um único ingrediente: fécula de mandioca. A vantagem é que ela não contém gordura, glúten ou sódio e não necessita de óleo no seu preparo. Por conta disso, o alimento se tornou popular e constantemente é indicado por nutricionistas como um substituo ideal para o café da manhã.

Os portadores de doença celíaca, por exemplo, que apresentam intolerância ao glúten – uma proteína que pode ser encontrada no trigo, na cevada, no centeio e na aveia –, certamente também verão vantagens em consumir tapiocas em vez de pão branco. Entretanto, antes de confirmar a troca em definitivo, você precisa conversar com seu médico ou nutricionista.

receita de tapioca

Nem tudo é comprovado cientificamente

Vale lembrar que não existe nenhum tipo de comprovação científica de que a tapioca é melhor do que o pão branco. Mas esse parece ter sido o senso comum na observação da maioria dos nutricionistas. Por suas características, a tapioca poderia ser considerada um alimento funcional. Já que a raiz tem a propriedade de ser neutra e ajudar a estabilizar o pH do corpo.

Por neutro, entenda que a tapioca é usada em dietas alcalinas e auxilia no tratamento da acidez do intestino. Contudo, se a tapioca em si é um alimento e tanto, é preciso ficar de olho naquilo que você coloca como recheio do alimento na hora da refeição. Por sua versatilidade, ela pode ser um gatilho para que você coma além da conta. Colocando itens no meio dela que não são tão saudáveis assim.

Fuja dos recheios calóricos

Por imaginar que estão “protegidas” ao comer uma tapioca. Muitas mulheres acabam se esquecendo que aquilo que você coloca como recheio dentro delas muitas vezes é tão importante quanto ou até mais do que a tapioca ou o pão em si. Itens como azeite, manteiga, leite condensado, doces e carnes gordas, por exemplo, devem ser evitados para que você não coloque toda a sua dieta a perder.

Uma boa dica é abusar de frutas e legumes, não apenas no recheio, mas também na massa. Você pode fazer isso umedecendo a goma com suco de frutas ou folhas no lugar da água, e o resultado será um toque de cor, de sabor e mais nutrientes.

pão de tapioca

Afinal, em se tratando de carboidratos, qual a melhor opção, substituir pão por tapioca?

Teoricamente, a tapioca é tão rica em carboidratos quanto o pão branco. A diferença fica mesmo por conta da facilidade de digestão. Já que os elementos presentes na tapioca são mais fáceis de serem digeridos pelo intestino do que os do pão branco. Já no caso do pão light, em se tratando de carboidratos. A vantagem fica com o pão pelo fato de ele ser rico em fibras.

Ainda assim, é inegável que a tapioca tem as suas vantagens e você pode sim incluir ela na sua dieta. Contudo, tudo vai depender de quais são as suas metas alimentares e seus objetivos de condicionamento físico. Para que não reste nenhuma dúvida, o ideal é consultar uma nutricionista de sua confiança, pois por meio da análise do seu perfil ela poderá indicar quais são as alternativas mais saudáveis em cada um dos casos.

Independente da sua escolha, não descuide dos recheios. Sejam eles doces ou salgados, eles são peças fundamentais para determinar a qualidade da sua alimentação visando uma vida mais saudável e tranquila.

substituir pão por tapioca

Você também pode gostar de: Alimentos antioxidantes: Saiba como podem ajudar a manter a sua juventude

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).