Drenagem linfática e o pós-operatório

O procedimento é uma massagem que alivia inchaços e também contribui para amenizar celulite e cólicas menstruais

Depois de uma abdominoplastia ou de uma lipoaspiração, uma das recomendações médicas durante o período pós-operatório é a realização de uma drenagem linfática. Tudo porque existe uma passagem maior de líquidos por meio dos vasos sanguíneos que propicia inchaços. Este procedimento auxilia na eliminação das toxinas no organismo, o que alivia essa sensação, sem contar que contribui no processo de cicatrização. Trata-se de uma massagem na região que foi submetida à operação e não oferece nenhum sintoma de dor.

Outras cirurgias que também requerem a realização da drenagem linfática são a ginecomastia, a mamoplastia, implantação de próteses de silicone, blefaroplastia e o lifting. Essa massagem precisa ser feita de maneira suave, sem imposição de força para não comprometer os vasos linfáticos. Muitos salões de cabeleireiros, por exemplo, oferecem o serviço, mas nem todos têm condições adequadas e profissionais aptos para a realização desse procedimento estético.

Ao contrário do que se imagina, a drenagem linfática não contribui para o emagrecimento, pois ela não elimina gordura. A eliminação de água acarreta em uma diminuição das medidas, mas porque o inchaço foi removido da região que passou pela cirurgia. Dessa forma, esse método tem como objetivo melhorar o aspecto da pele e remover o desconforto causado pelo líquido acumulado. Por causa disso, a drenagem linfática é realizada manualmente, somente onde precisa, o que gera benefícios para o restante do corpo.

A drenagem linfática tem vantagens e, uma delas, é o estímulo à circulação por causa dos movimentos específicos na região operada. Além de ter papel fundamental no pós-operatório, pessoas que passam muito tempo com roupas apertadas também podem recorrer ao método, sem problema algum, para minimizar aquela sensação chatinha de retenção de líquidos. A massagem alivia também uma das vilãs da mulherada, a celulite, e ameniza os desconfortos das cólicas menstruais.

A influência da drenagem linfática no pós-operatório também se refere à regeneração dos tecidos, pois elimina edemas que podem surgir após a operação. Sem contar que o efeito é relaxante. O uso de cremes e óleos é vetado, mas, para dar aquele climinha confortável, muitos profissionais fazem uso de aromatizantes dentro das salas de massagem.

Par não cair em ciladas, sempre verifique as condições e as referências do local. Quem realiza a drenagem linfática são fisioterapeutas. Esteticistas também possuem aval, mas, em ambos os casos, é preciso checar o profissionalismo e se a execução desse processo foi satisfatória em outras pessoas.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. Rosangela Freitas Ribeiro disse:

    Boa tarde.
    Gostaria de saber se voces tem curso a distancia . pois estou prestando faculdade de enfermagem no 3 ano, e quero me especializar em drenagem linfatica.
    Fazer pós em dermatologia.

    desde ja agradeço..

    • Luciana Pepino disse:

      Olá Rosangela!
      Somos uma clínica de cirurgias plásticas, infelizmente não temos cursos ou escolas para indicar.

      Abraços!