11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Dermatite nos seios pós mamoplastia: como resolver?

O que é dermatite pós mamoplastia

Dermatite pós mamoplastia não é grave, mas exige acompanhamento especializado para diagnóstico e tratamento corretos.

O monitoramento dos sintomas e a avaliação especializada são essenciais no diagnóstico correto, o que garante o tratamento adequado em menos tempo. A seguir entenda melhor essa condição.

O que causa a dermatite pós mamoplastia?

Na mamoplastia, o cirurgião plástico faz uma pequena incisão que pode ser no sulco mamário ou na aréola para colocação da prótese mamária. É frequente as pessoas lembrarem-se apenas dessa cicatrização externa.

No entanto, internamente, o especialista precisou fazer um deslocamento dos tecidos com o objetivo de inserir a prótese, de forma que após a mamoplastia, há um intenso processo interno de cicatrização.

O organismo responde ao trauma cirúrgico liberando diversas substâncias que vão contribuir na cicatrização e acelerar a recuperação dos tecidos, como a serotonina, a bradicinina e a histamina.

Nesse processo, a histamina é responsável pela intensificação do fluxo sanguíneo do local, o que garante que as células daquela região recebam os nutrientes e oxigênio necessários ao processo de cicatrização.

A mesma substância também promove a vasodilatação dos vasos sanguíneos, que consiste na ampliação deles para passagem do sangue e demais substâncias.

Como resultado da vasodilatação associada ao aumento do fluxo de sangue no local podem surgir sinais semelhantes ao de uma reação alérgica, principalmente com a pele ficando inchada e com coceira devido ao estímulo das terminações nervosas.

Esse processo por si só não é o problema, no entanto, se a paciente começa a coçar frequentemente a região e apresentar uma intensificação dos sinais, as lesões na pele podem abrir a porta para outras irritações.

A dermatite pós mamoplastia pode apresentar incômodos como ressecamento da pele, inchaço, vermelhidão e coceira. Caso a paciente coce a área, aumentam as chances de uma lesão que pode ser a porta de entrada para bactérias.

Portanto, caso os sinais permaneçam e, principalmente, se ficarem mais intensos, é essencial buscar auxílio médico especializado e conversar com o cirurgião plástico responsável pela mamoplastia.

Como é realizado o diagnóstico e tratamento?

O especialista vai avaliar quais os sintomas a paciente tem identificado e, a partir disso, identificar qual o tratamento mais apropriado.

Podem ser recomendados, por exemplo, hidratantes específicos para dermatites. Esses produtos contribuem para repor os líquidos da pele, o que ameniza a coceira e vermelhidão, além de prevenir o ressecamento.

É totalmente contraindicado coçar a pele, pois além de agredir mais os tecidos, essa ação pode predispor a paciente ao surgimento de estrias, uma vez que a derme está se adaptando ao novo tamanho dos seios.

Em geral, com uma rotina de hidratação dos seios nas primeiras semanas, a dermatite pós mamoplastia não tende a agravar-se ou ser persistente, mas é importante acompanhar com o especialista a evolução do quadro.

Pessoas com predisposição às doenças de pele devem avisar o especialista antes mesmo da cirurgia plástica, pois alguns medicamentos, baixa imunidade ou mesmo ansiedade podem influenciar crises das patologias dérmicas.

Portanto, apesar do incômodo com a dermatite pós mamoplastia, a condição costuma ser passageira. Caso identifique um agravamento, busque seu médico de confiança com urgência.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).