11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira das 8h às 21h
Sábados das 10h às 14h

O que o açúcar e o carboidrato fazem com a sua cicatrização

Principais cuidados durante cicatrização de cirurgia plástica

Cuidados com a alimentação no pós-cirúrgico garantem melhores resultados estéticos após cicatrização

Após uma cirurgia plástica os cuidados durante cicatrização são fundamentais para que a paciente alcance os resultados desejados com a intervenção estética.

Com vários cuidados necessários, como repouso, higienização, cinta modeladora e outros, um aspecto adicional e muito importante é a alimentação.

O processo de cicatrização consiste em reações físicas, químicas e biológicas do organismo com o objetivo de reconstituir a continuidade tecidual que foi interrompida.

Apesar de algumas cicatrizações serem mais difíceis que outras, as reações são identificadas em todos os tipos de lesões, desde fazer um piercing até uma cirurgia plástica. O processo é dividido em três etapas: inflamatória, fibroblástica e maturação.

Para auxiliar nos cuidados durante esse período, apresentamos a seguir como a dieta influencia nesses processos.

Como refletir na alimentação os cuidados durante cicatrização?

A alimentação é um aspecto crucial desde antes da cirurgia plástica, pois ela é um indicativo de saúde e, para submeter-se a um procedimento estético, é essencial que a paciente esteja com a saúde em dia.

Existem alguns casos, como pacientes com diabetes, nos quais o pré-operatório da cirurgia plástica deve ser avaliado também por um nutricionista, por exemplo.

Verifica-se assim que a alimentação é um aspecto central para o sucesso de uma intervenção estética, aumentando as chances de uma boa cicatrização.

Quais alimentos prejudiciais à cicatrização?

Os alimentos prejudiciais à cicatrização são chamados de remosos, também conhecidos como “alimentos carregados”. Esses são aqueles ricos em gordura hidrogenada, proteína ou gordura animal.

Durante o processo de cicatrização a ingestão excessiva desses elementos pode desencadear um processo inflamatório ou agravar quadros já existentes, especialmente na pele.

Os alimentos contraindicados são considerados alergênicos, pois podem provocar reações alérgicas como coceira e diarreia devido à liberação de histamina.

A ocorrência de coceira em pacientes em recuperação pode aumentar as lesões cutâneas, provocar o surgimento de feridas e também piorar quadros existentes, reativando processos inflamatórios.

Alimentação para cicatrização

Entre os cuidados durante cicatrização, remover os alimentos remosos da dieta está entre os mais importantes. Entre eles destacam-se:

  • açúcar;
  • carne de porco e de pato;
  • ovos, principalmente a gema;
  • frutos do mar, como moluscos, camarão e caranguejo;
  • refrigerantes;
  • embutidos, como salsicha, linguiça e presunto;
  • carnes processadas;
  • comidas ultraprocessadas, como fast food;
  • laticínios
  • frituras;
  • abacate;
  • chocolate ao leite.

Portanto, a lista de alimentos remosos que devem ser retirados da dieta durante o pós-operatório da cirurgia plástica inclui principalmente opções ricas em gordura, açúcares e proteína.

Muitos desses alimentos não contribuem à saúde independentemente do pós-cirúrgico, pois o consumo deles está associado a problemas como obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares.

Quais opções devem fazer parte da dieta pós-cirúrgica?

Existem diferentes substituições que podem ser realizadas na dieta para garantir bons cuidados durante cicatrização.

Por exemplo, em vez de ingerir gordura animal presente no porco e na carne vermelha, invista em oleaginosas e peixes que garantem um consumo saudável de gorduras devido à presença de ômega 3.

O açúcar refinado, mais prejudicial à saúde, pode ser substituído por opções menos danosas, como o açúcar mascavo ou demerara. Já o chocolate ao leite pode ser deixado de lado e o chocolate meio amargo ou amargo entrar na dieta.

Durante a cicatrização também é recomendado reduzir o consumo de carboidratos, pois eles têm uma carga energética elevada. Assim reduza receitas que utilizam a farinha de trigo, como pães, massas e bolos.

Uma alimentação saudável deve ser diversificada e rica em opções naturais, como vegetais, legumes e frutas é a mais adequada para um período pós-operatório. Além disso, opções que devem constar na dieta incluem:

  • laranja, pêssego e acerola que são fontes de vitamina C, nutriente que garante uma produção adequada de colágeno;
  • as oleaginosas como castanhas, nozes e outras que têm gorduras saudáveis e auxiliam no processo anti-inflamatório devido à presença de zinco;
  • peixes e carnes vermelhas com cortes magros que ajudam a equilibrar a produção de colágeno e também a reposição de ômega 3 que ajuda no combate às inflamações;
  • vegetais arroxeados como cereja, beterraba e berinjela que são ricos em antocianina, um antioxidante benéfico para pele.

No caso de uma cirurgia plástica, na qual o processo de pós-operatório é mais complexo, a alimentação pode ser planejada previamente com o cirurgião plástico responsável.

Além de uma dieta saudável é fundamental seguir as demais recomendações do especialista para que os cuidados durante cicatrização sejam adequados e proporcionem um resultado estético mais satisfatório.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).