(11) 3285-6412Segunda a Sexta-Feira das 10h às 19h
Clínica Especializada em Cirurgias Plásticas
  • A Clínica
  • Cirurgias
  • Procedimentos
  • Informações
  • Dicas
  • Contato
  • Blog
Agendar Consulta
retornar
Mulher magra encostada na parede

Mini-abdominoplastia: como funciona o procedimento?

Saiba quais as diferenças com a abdominoplastia e quais as indicações do procedimento!

A mini-abdominoplastia é um procedimento cirúrgico cada vez mais realizado por homens e mulheres que desejam eliminar o excesso de pele localizado na região supra púbica, logo abaixo do ventre.

Essa técnica é uma versão da abdominoplastia que resulta em uma cicatriz menor do que no modelo clássico da cirurgia devido focar apenas na parte inferior do ventre, realizando a costura dos músculos reto abdominais na parte abaixo do umbigo.

Quais as diferenças com a abdominoplastia?

A principal diferença entre a mini-abdominoplastia e a cirurgia convencional refere-se à porção de pele que será ressecada durante o procedimento.

Na abdominoplastia a incisão é realizada desde a cicatriz umbilical até o púbis, enquanto na versão reduzida resseca-se apenas um fuso de pele abaixo da cicatriz umbilical.

Devido ao tipo de incisão realizada, outra diferença entre as técnicas é que no modelo tradicional é preciso realizar o reposicionamento do umbigo, o que não ocorre na outra versão.

Como benefício da abdominoplastia clássica, pode-se realizar a costura de toda a extensão da musculatura dos retos abdominais, favorecendo principalmente a rigidez do músculo e obtenção de uma barriga mais “chapada”. Para isso, no entanto, obtêm-se uma cicatriz um pouco maior e também na vertical do abdômen.

Já na mini-abdominoplastia a plicatura é realizada apenas do umbigo para baixo, não beneficiando tanto pessoas com a musculatura abdominal frágil, uma das indicações da técnica. No entanto, a cicatriz é menor, ficando apenas na linha do púbis.

Devido às características dos procedimentos, destaca-se que a recuperação da abdominoplastia é mais trabalhosa por envolver um trauma cirúrgico maior, demandando mais tempo de repouso e atenção aos cuidados.

Destaca-se que as cirurgias não são substitutivas, de forma que a técnica indicada deverá levar em conta a condição do paciente e objetivos com o procedimento.

Quais as indicações da mini-abdominoplastia?

A recomendação da mini-abdominoplastia é para pacientes que estejam com saúde e dentro ou próximos ao peso ideal.

Ela deve ser realizada quando o paciente tem flacidez abdominal localizada apenas na parte inferior da barriga, abaixo do ventre. Quando ocorre afastamento dos músculos reto abdominais, o problema também deve se restringir a essa região próxima do púbis.

Normalmente, a cirurgia é indicada para pacientes que não podem passar pela cirurgia tradicional por não ter flacidez o suficiente para levar a pele desde a região acima do umbigo até o púbis, optando por uma técnica reduzida.

Mulher ruiva encostada na parede

Como é realizado o procedimento?

Em geral a cirurgia tem duração entre um e duas horas, podendo ser usada a anestesia raqui com sedação ou a anestesia geral, de acordo com as preferências do cirurgião responsável.

É feita uma incisão na parte inferior do abdômen a uma distância de cerca de 6 cm do púbis. Por meio dela a pele é retirada ou tracionada à região central, analisando a quantidade de pele e gordura que serão ressecadas.

Quando necessário, o cirurgião plástico utiliza esse momento para fazer a costura da musculatura do reto abdominal.

Após a ressecção ocorre o fechamento da incisão e inserção do curativo e malha cirúrgica que deverá ser mantida por 24 horas até que o paciente possa retirá-la para tomar banho.

É bastante comum que o procedimento seja associado à lipoaspiração. Nesses casos, o procedimento pode durar mais e os resultados são mais satisfatórios, mas exige cuidado adicional na recuperação.

Como é o pós-operatório dessa cirurgia?

O pós-operatório influencia diretamente nos resultados alcançados com a cirurgia plástica e também minimiza as chances de complicações que podem resultar em problemas de saúde e insatisfações estéticas.

Em geral, o paciente submetido à cirurgia deve permanecer de repouso por cerca de uma semana, podendo retomar atividades cotidianas mais leves. As recomendações incluem:

  • alimentação balanceada que contribua no processo de cicatrização;
  • evitar tabaco e álcool na recuperação;
  • utilizar a cinta cirúrgica por, aproximadamente, 60 dias tirando-a apenas para tomar banho;
  • realizar sessões de drenagem linfática para melhorar os edemas;
  • evitar a exposição solar no local da cirurgia para evitar manchas;
  • deitar de barriga para cima e com as pernas fletidas;
  • retomar atividades físicas apenas depois de 45 ou em 3 meses no caso de costura da musculatura;
  • ingerir apenas analgésicos, antibióticos e anti-inflamatórios prescritos pelo médico.

O edema e hematomas iniciais apresentam melhora em aproximadamente três semanas, quando as recomendações médicas são cumpridas corretamente.

O resultado final tende a aparecer entre 4 e 6 meses que é quando ocorre a diminuição dos hematomas e inchaço, mas esse período pode variar de acordo com a resposta do organismo ao trauma cirúrgico.

O ideal é realizar a mini-abdominoplastia com um cirurgião plástico de confiança que, além da execução do procedimento ficará atento a todas as etapas pré e pós-operatórias.

Agende agora a sua consulta!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.


Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Agende sua consulta

Deixe o seu comentário


    Leia Também

    Carregando...

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    Quero ajudar!
    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    logo

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    Quero ajudar!

    Assine nossa newsletter

    Assine e receba dicas, novidades, materiais e muito mais.

    whatsapp

    Cirurgias

    Procedimentos

    Links Úteis

    Telefones de Contato

    Políticas de Privacidade

    Dra. Luciana L. Pepino. Diretora Técnica Médica

    CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

    logo

    2022. Dra. Luciana Pepino

    Todos os direitos reservados.