(11) 3285-6412Segunda a Sexta-Feira das 10h às 19h
Clínica Especializada em Cirurgias Plásticas
  • A Clínica
  • Cirurgias
  • Procedimentos
  • Informações
  • Dicas
  • Contato
  • Blog
Agendar Consulta
retornar
saiba quando cirurgias plásticas combinadas não são compatíveis entre si

Cirurgias plásticas combinadas que não são compatíveis entre si

Saiba quais são as cirurgias plásticas combinadas mais comuns e quais critérios são usados para determinar a incompatibilidade de técnicas

As cirurgias plásticas combinadas são opções bastante conhecidas e, em geral, seguras, entretanto, existem algumas abordagens que não são compatíveis e devem ser conhecidas pela paciente.

A incompatibilidade de associar cirurgias plásticas pode ocorrer por diferentes fatores, mas apenas o cirurgião plástico tem condições de avaliar as particularidades do caso.

Cirurgias plásticas combinadas: quais são as opções mais comuns?

Na área estética, a opção pelas cirurgias plásticas combinadas ocorre quando as técnicas realizadas na mesma intervenção cirúrgica promovem benefícios à paciente, sejam estéticos, econômicos ou de tempo.

Por exemplo, em vez de planejar duas cirurgias é viável – em alguns casos – associar a lipoaspiração e a abdominoplastia, de forma a entregar um resultado melhor, com custos menores do que dois tratamentos separados e sem demandar dois pré e pós-operatórios.

Existem diversas cirurgias plásticas combinadas frequentemente, como:

  • mamoplastia e abdominoplastia;
  • mamoplastia e lipoaspiração;
  • mastopexia e mamoplastia de aumento;
  • rinoplastia e septoplastia;
  • ritidoplastia e blefaroplastia;
  • lipoaspiração, mamoplastia e abdominoplastia.

A associação pode incluir também cirurgias reparadoras, como é o caso da septoplastia e da abdominoplastia.

Apesar dessa possibilidade, em algumas situações a associação de cirurgias plásticas torna-se incompatível. Entenda a seguir. 

Quando a associação de cirurgias plásticas não é possível?

A avaliação do cirurgião plástico é sempre indicada, pois existem casos nos quais as cirurgias plásticas combinadas podem apresentar riscos à paciente, sendo contraindicada. Conheça as variáveis que mais influenciam nessa decisão.

Tempo de cirurgia

Diversos fatores influenciam o tempo de cirurgia, sendo que, quando ele é muito elevado, eleva os riscos à segurança do paciente, que tem um período máximo que pode ficar sob efeito da anestesia.

Dessa forma, o cirurgião vai considerar qual o tempo de execução de cada técnica. Por exemplo, a associação de três procedimentos é possível no caso de mamoplastia, lipoaspiração e abdominoplastia.

Entretanto, se for uma mamoplastia redutora complexa, somada à necessidade de grande retirada de pele da região abdominal, o especialista pode indicar realizar intervenções separadas.

Outro exemplo é a rinoplastia com a mentoplastia que podem ser associadas desde que não envolvam técnicas complexas, como fratura do osso nos dois casos.

Posição da técnica

mulher após realizar a primeira cirurgia depois de perceber que não poderia fazer cirurgias plásticas combinadas

Uma situação na qual as cirurgias plásticas combinadas não são compatíveis é quando cada técnica demanda posições de execução distintas, como uma intervenção frontal e outra posterior.

É por essa razão que, em geral, a gluteoplastia não pode ser associada à abdominoplastia ou mamoplastia, por exemplo.

Saúde da paciente

Um fator fundamental na definição da associação de cirurgias plásticas é o estado de saúde da paciente.

Qualquer alteração nos níveis de coagulação, por exemplo, contraindica a realização de cirurgias combinadas.

A presença de doenças crônicas, como diabetes e hipertensão, também podem comprometer essa indicação, pois a recuperação é mais lenta e difícil mesmo com uma única técnica.

Cirurgias plásticas que podem ser associadas normalmente, como a abdominoplastia e a lipoaspiração deixam de ser indicadas conjuntamente no caso de pacientes da terceira idade, que também apresentam recuperação mais lenta.

Nesse caso, é preferível realizar duas intervenções separadas para aumentar a segurança e bem-estar da paciente. Já a associação da ritidoplastia com a blefaroplastia costuma ser viável mesmo para pacientes sêniores.

Destaca-se ainda que em alguns casos a incompatibilidade deve-se a situação da paciente. 

Por exemplo, muitas desejam associar a cirurgia bariátrica com a abdominoplastia, entretanto, apenas depois de meses de emagrecimento será possível fazer a remoção do excesso de pele sobressalente.

Portanto, cada situação deve ser avaliada individualmente pelo cirurgião plástico para determinar quando as cirurgias plásticas combinadas são viáveis e seguras. 

Quer saber mais? Agende sua consulta agora mesmo e tire suas dúvidas!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.


Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Agende sua consulta

Deixe o seu comentário


    Leia Também

    Carregando...

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    Quero ajudar!
    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    logo

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    Quero ajudar!

    Assine nossa newsletter

    Assine e receba dicas, novidades, materiais e muito mais.

    whatsapp

    Cirurgias

    Procedimentos

    Links Úteis

    Telefones de Contato

    Políticas de Privacidade

    Dra. Luciana L. Pepino. Diretora Técnica Médica

    CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

    logo

    2022. Dra. Luciana Pepino

    Todos os direitos reservados.