Existe uma idade máxima para mamoplastia?

Pode colocar prótese de silicone depois dos 65 anos? E diminuir os seios depois dos 70? Descubra as condições e cuidados para a cirurgia plástica das mamas na terceira idade.

Sentir-se bem com sua própria aparência não é um desejo apenas das pessoas mais jovens, tanto que muitas mulheres mais velhas desejam “dar um up” no visual das mamas. Nestas situações, costuma surgir a preocupação sobre a idade máxima para mamoplastia.

Na verdade, o número de pacientes acima dos 65 anos que buscam procedimentos estéticos e cirurgias plásticas vem aumentando nos últimos anos. Esse fenômeno se justifica pelo fato de que, hoje em dia, envelhecemos com muito mais disposição do que nossos pais e avós.

Em função dos avanços da medicina, chegamos à terceira idade com mais vitalidade do que antigamente. Assim, quando olhamos no espelho, nossa imagem nem sempre reflete a forma como nos sentimos por dentro.

Felizmente, os tratamentos estéticos e as cirurgias plásticas são mecanismos que nos permite recuperar nossa autoestima, proporcionando mais qualidade de vida mesmo quando atingimos a maturidade.

Mamoplastia de aumento: recuperando a autoestima na maturidade

De acordo com o último relatório da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, 7,9% dos pacientes do mundo todo que colocaram próteses mamárias em 2017 tinham entre 51 e 64 anos, enquanto 1,2% tinham mais de 65.

Nessa faixa etária, a busca pela mamoplastia de aumento se dá principalmente pelo desejo de resgatar a silhueta que se perdeu com o envelhecimento, as gestações e a amamentação, recuperando o volume e o formato dos seios.

Porém, como a pele de uma mulher acima dos 65 anos costuma apresentar um grau maior de flacidez, a simples colocação do silicone não resolveria o problema, podendo até mesmo agravá-lo.

Dessa forma, em vez da mamoplastia, o mais comum é que se faça a mastopexia, que consiste na cirurgia para levar as mamas e remover o excesso de pele e pode ou não incluir a prótese de silicone. Saiba mais sobre as diferenças entre mamoplastia e mastopexia.

idade máxima para mamoplastia

Mamoplastia redutora: estética e saúde em todas as idades

Por outro lado, muitas mulheres mais velhas se sentem insatisfeitas com o acúmulo excessivo de gordura nas mamas, deixando-as com uma aparência flácida e desproporcional ao restante do corpo.

Além disso, esse aumento pode trazer problemas de saúde como assaduras, feridas e infecções de pele na região abaixo dos seios, bem como causar pressão excessiva sobre a coluna, piorando condições como artrose, e até mesmo a compressão do tórax.

Nesse caso, pode-se recorrer à mamoplastia redutora, que remove o excesso de gordura, tecido glandular e pele, de modo a diminuir o tamanho dos seios.

Com isso, a cirurgia também permite a correção da flacidez e o reposicionamento das mamas em uma posição mais elevada, deixando-as com um perfil muito mais jovem – de forma semelhante à mastopexia.

Existe idade máxima para mamoplastia?

Embora muitas mulheres – e seus familiares – se preocupem com a idade máxima para mamoplastia, não existe um limite cronológico máximo para a realização desse procedimento. Na verdade, essa restrição de idade não existe para nenhuma cirurgia plástica.

Dessa forma, mulheres na faixa dos 60, 70 e até mesmo 80 anos podem fazer uma mamoplastia, desde que seu organismo permita uma intervenção segura.

Mesmo que o avanço da medicina tenha permitido um processo de envelhecimento com mais saúde e vitalidade, o passar dos anos inevitavelmente traz consigo algumas alterações no funcionamento do corpo humano.

Por isso, embora a idade cronológica não seja uma proibição para a mamoplastia, toda cirurgia plástica realizada em pacientes mais velhos oferece riscos adicionais, o que também demanda alguns cuidados extras para que ela traga apenas resultados positivos.

Riscos da mamoplastia na terceira idade

A idade máxima para mamoplastia não precisa ser uma preocupação, mas as condições de saúde da paciente sim. Afinal, o avanço do tempo aumenta a tendência a alguns problemas de saúde que aumentam os riscos em uma cirurgia, por exemplo:

  • Processo de cicatrização mais lento;
  • Presença de doenças crônicas como diabetes, hipertensão e colesterol alto;
  • Problemas de circulação que aumentam o risco de trombose pós-cirúrgica.

Apesar disso, esses riscos não são necessariamente impeditivos para a mamoplastia, mas sim sinais de que a cirurgia plástica requer alguns cuidados a mais.

Principais cuidados para a mamoplastia em mulheres acima dos 65 anos

Considerando os riscos adicionais trazidos pela passagem do tempo, uma cirurgia plástica na terceira idade demanda alguns cuidados extras para a preservação da saúde e da segurança do paciente, permitindo uma boa recuperação.

Assim, embora não haja uma idade máxima para mamoplastia, há outros aspectos além da idade cronológica que devem ser levados em conta para que a cirurgia seja viável.

idade máxima para mamoplastia

Conheça os principais:

  • Avaliação completa e check-up: na primeira consulta, o cirurgião plástico vai avaliar não apenas as condições da pele do paciente, mas também seu estado de saúde geral. Para isso, serão solicitados exames laboratoriais e teste de esforço;
  • Controle de doenças crônicas: caso os exames revelem doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto, entre outras, será necessário controlar a condição antes de realizar a mamoplastia;
  • Doenças pré-existentes: quando a paciente já apresenta uma doença crônica, a cirurgia plástica poderá ser feita se ela estiver bem controlada e houver a autorização do médico que já a acompanha;
  • Mais cuidados no pós-operatório: como a cicatrização é mais lenta, o pós-operatório será mais longo do que em uma paciente mais jovem, demandando mais atenção dos familiares e um período de repouso mais longo;
  • Pode não ser possível combinar cirurgias: fazer uma mamoplastia junto com uma abdominoplastia, por exemplo, aumenta o tempo total de cirurgia, o que pode colocar a segurança da paciente em risco por fragilizar demais seu organismo.

É importante ter em mente que cada caso é um caso, e somente uma boa avaliação presencial pode determinar a viabilidade de uma cirurgia na terceira idade. Por isso, a dica é agendar sua consulta com a Dra. Luciana Pepino para ter certeza de que você estará em boas mãos.

Simule sua Prótese Mamária

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).