11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Chip da beleza: entenda o que é e como funciona

Conheça o queridinho das mulheres e descubra quais são seus reais efeitos no corpo 

Se livrar da TPM, perder aqueles tão indesejados quilinhos, melhorar a pele e até acabar de vez com a celulite… Talvez esse seja o sonho da maioria das mulheres modernas e falando assim, até parece uma utopia. 

Mas, a verdade é que isso tudo já é possível e faz parte da rotina de muitas mulheres que atribuem esses ‘milagres’ a um produto com cerca de 3 cm, conhecido como chip da beleza.

Este pequeno dispositivo está ganhando cada vez mais adeptas no Brasil e tem se tornado moda inclusive entre as famosas e influencers, o que fez com que sua procura aumentasse ainda mais nos últimos tempos. 

Ainda não sabe do que se trata? Confira a seguir as principais informações sobre o chip da beleza e tudo o que você precisa saber sobre ele!

Afinal, o que é o chip da beleza?

Trata-se de um pequeno dispositivo de silicone desenvolvido originalmente para evitar a gravidez e os desconfortos causados no ciclo menstrual, implantado normalmente sob a pele do glúteo. 

Nele estão contidos diversos tipos de hormônios, que são liberados gradualmente para que seus benefícios sejam desfrutados pelas mulheres. Dentre as substâncias mais comuns, podemos destacar os hormônios: 

  • Elcometrina;
  • Nomegestrol;
  • Gestrinona;
  • Estradiol;
  • Testosterona;
  • E progesterona.

Como ele funciona? 

Basicamente, o chip da beleza é formulado por laboratórios de manipulação com as indicações específicas do médico responsável pelo implante. 

Ele deverá avaliar as principais queixas da paciente, identificando qual a melhor combinação de hormônios específicas para que todas as necessidades sejam supridas. 

Após ser inserido por baixo da pele, ele libera diariamente uma determinada quantidade de hormônios, podendo ser retirado a qualquer momento, caso a mulher não se adapte. 

O valores para colocação podem variar de R$3 mil a R$8 mil, tendo durabilidade de 6 meses a 1 ano, sendo completamente absorvido pelo corpo após esse período.

Quem pode colocar o chip da beleza?

Indicado para mulheres de 18 a 45 anos, o chip deve ser recomendado como método contraceptivo, com o objetivo de regular os hormônios femininos nos casos em que a mulher sofre muito com os efeitos da TPM. 

Vale ressaltar que especialistas indicam que seu uso deverá ser feito apenas quando o corpo precisa deles, e não somente para fins estéticos. 

Prós e contras do método

Assim como já citamos anteriormente, o chip pode oferecer inúmeros benefícios para mulheres que desejam acabar com os sintomas da TPM, suspender a menstruação e realizar a modulação hormonal. 

Além desses, podemos destacar os seguintes benefícios: 

  • Ganho de massa magra;
  • Redução das celulites;
  • Definição muscular;
  • Fortalecimento das unhas e cabelos;
  • Melhora significativa da pele;
  • Aumento da libido. 

No entanto, alguns profissionais relatam que em determinadas mulheres, o chip pode promover reações indesejadas como o aumento de pelos, engrossamento da voz,  androgenização e até o surgimento de acnes. 

Para garantir a eficácia do chip, é necessário ter em mente que não se trata de algo milagroso e, portanto a decisão de implantá-lo deve ser muito bem avaliada. 

Caso o objetivo seja puramente estético, o recomendado é que a mulher busque outras alternativas, como por exemplo os procedimentos estéticos e até mesmo as cirurgias plásticas.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).