11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira das 8h às 21h
Sábados das 10h às 14h

Chocolate no pós-cirúrgico: saiba quais são os perigos

Mulher segurando chocolate no pós-cirúrgico

Cirurgião plástico deve informar a paciente se pode comer chocolate no pós-operatório com base em avaliação específica

Após realizar uma cirurgia plástica, uma das principais dúvidas das pacientes é se pode comer chocolate no pós-operatório.

Assim como outras recomendações pós-cirúrgicas é importante que a paciente seja informada antecipadamente pelo médico responsável e não apenas com um “sim ou não”, mas com uma explicação completa sobre os motivos das indicações.

A seguir explicamos os perigos de comer chocolate no pós-cirúrgico, mas também quais alimentos são bem-vindos na fase de recuperação.

Pode comer chocolate no pós-operatório?

Como ocorre com outras indicações pós-operatórias a resposta é: depende!

Comer ou não chocolate no pós-operatório da cirurgia plástica será influenciado por fatores como o tipo de chocolate, a quantidade consumida, a condição de saúde da paciente e se ela tem predisposição a problemas de cicatrização.

O consumo de alimentos chamados de remosos atrapalha a cicatrização devendo ser evitado após uma cirurgia plástica. O que ocorre é que devido à concentração de açúcar e gorduras eles dificultam a circulação sanguínea, limitando a chegada dos nutrientes ao tecido lesionado que está cicatrizando.

Esse processo é comum ao consumo de vários alimentos e não apenas o chocolate, como:

  • doces em geral, principalmente os industrializados como balas, sorvete e biscoitos;
  • refrigerantes;
  • frituras;
  • carnes processadas, como salsicha e linguiça;
  • açúcar em pó, mel e melaço de cana;
  • leite achocolatado e compotas com açúcar;
  • carnes gordurosas, como de porco e bacon.

A cicatriz hipertrófica ou a quelóide ocorrem quando mesmo após a cicatrização o corpo continua produzindo colágeno em excesso, causando o crescimento anormal.

O que pode ocorrer é que devido ao consumo demasiado de açúcar e gorduras durante a cicatrização, o corpo inicia um processo inflamatório que intensifica a produção de colágeno e causa a cicatriz hipertrófica ou quelóide.

No entanto, esse processo não pode ser previsto. Dessa forma, uma pessoa com tendência à quelóide pode apresentar o problema mesmo que não se alimente de chocolate ou alimentos gordurosos durante a cicatrização.

Mas se a pessoa já tiver tendência ao problema e se alimentar indevidamente, aumentam as chances de o problema ocorrer.

Da mesma forma, uma pessoa sem a predisposição pode comer chocolate e não ter o problema. Portanto, é uma questão individual e, por garantia, os médicos recomendam que haja uma diminuição no consumo de alimentos prejudiciais à cicatrização no período pós-operatório.

Mas a dúvida se pode comer chocolate no pós-operatório fica um pouco mais complexa: também depende do tipo de chocolate que você pretende comer.

Chocolate amargo

Por exemplo, o chocolate branco é mais gorduroso e açucarado, portanto, potencialmente mais prejudicial à saúde e cicatrização. Já o chocolate amargo, com alta porcentagem de cacau e menos açúcares e gorduras, apresenta benefícios, como:

  • ajuda na sensação de bem-estar;
  • promove saciedade;
  • combate o aumento da pressão arterial no abdômen;
  • aumenta a elasticidade dos vasos sanguíneos, melhorando a hipertensão e problemas cardiovasculares.

Esses benefícios, no entanto, só são observados no caso do consumo do chocolate meio amargo e em baixas quantidades, cerca de 7 gramas ao dia, o que corresponde a um quadradinho.

O que comer no pós-cirúrgico?

Em períodos tradicionais para comer chocolate, como Páscoa, Dia dos Namorados e Natal, é ainda mais importante que pessoas que estejam em recuperação avaliem se podem comer chocolate no pós-operatório.

Uma opção é comer em pequena quantidade o chocolate amargo, mas também é possível substituí-lo por outras opções, como as frutas vermelhas.

A seguir conheça alguns alimentos que podem ser adicionados à dieta durante o período pós-operatório para melhorar a cicatrização.

  • água: a principal aliada em qualquer recuperação é a água, que é fundamental para bom funcionamento do organismo, redução do inchaço e combate a retenção de líquidos, atuando como um anti-inflamatório natural;
  • folhas verde-escuras: opções como couve, escarola, espinafre e brócolis são ricas em vitaminas B e E que elevam a quantidade de fibroblastos e melhoram a síntese do colágeno;
  • frutas cítricas: opções como laranja, kiwi, acerola e outras têm concentração alta de vitamina C que ajuda no fortalecimento do sistema imunológico e melhora a síntese e a formação de colágeno;
  • frutas vermelhas: devido a presença de flavonoides, as frutas como morango, framboesa e amora atuam como antioxidantes mantendo a saúde dos vasos sanguíneos e protegendo contra processos inflamatórios;
  • carnes magras: durante a recuperação é importante ingerir proteínas que vão ajudar na cicatrização e síntese do colágeno. A recomendação é preferir cortes magros como peito de frango, patinho, lagarto e filé mignon.

A boa alimentação deve ser somada aos demais cuidados do pós-operatório da cirurgia plástica, como repouso, pouca exposição ao sol, sessões de drenagem linfática, uso de cinta pós-cirúrgica e outras.

Devido aos fatores particulares, para saber se pode comer chocolate no pós-operatório a indicação é sempre perguntar diretamente ao cirurgião plástico responsável que terá melhores informações para indicar a dieta apropriada à recuperação da paciente.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).