Menu

Abdominoplastia após a gravidez: tem alguma contraindicação?

Está se sentindo incomodada com seu corpo depois de dar à luz? Então conheça as indicações e saiba qual é a melhor época para fazer uma abdominoplastia após a gravidez

Muitas mulheres sonham em ter um bebê, e o nosso desejo é que você seja plenamente realizada com a sua família. Porém, nós sabemos que muitas mulheres ficam insatisfeitas com a silhueta depois do parto, principalmente em relação ao abdômen.

Afinal, o bebê passou nove meses se desenvolvendo ali dentro, um verdadeiro milagre da natureza, mas que tem consequências como o estiramento da pele além da sua capacidade de se contrair novamente. E, com isso, surge a flacidez.

Além disso, o corpo da gestante tende a acumula gordura na região abdominal, principalmente nas mulheres que ganham muito peso durante a gravidez – e esse é mais um fator que prejudica a silhueta mesmo depois de dar à luz.

Por causa disso, muitas mulheres buscam a abdominoplastia no intuito de corrigir essas imperfeições e recuperar seus contornos de antes. A cirurgia plástica da barriga realmente é uma excelente solução para isso, mas é preciso observar alguns cuidados.

Indicações da abdominoplastia após a gravidez

A abdominoplastia pós-parto é indicada para mulheres que passaram por modificações corporais durante a gestação, especialmente a flacidez na região abdominal, e não conseguiram recuperar sua antiga forma mesmo depois de perder o peso extra.

Essa cirurgia é indicada para mulheres que já estão dentro de uma faixa de peso saudável ou próximo do ideal, e não para quem ainda deseja ou precisa emagrecer alguns quilos. Lembre-se de que a abdominoplastia não é uma técnica de emagrecimento.

Ainda, vale ressaltar que qualquer cirurgia plástica será indicada quando o desejo de realizá-la parte da própria mulher, e não por uma demanda do parceiro ou sugestão de amigas e familiares.

E, claro, para que os resultados sejam mais duradouros, o mais recomendável é que a abdominoplastia seja feita quando a mulher não deseja mais engravidar, pois uma nova gestação pode alterar novamente a silhueta.

Quando é possível fazer uma abdominoplastia após a gravidez?

Antes de pensar em modificar a silhueta, é preciso dar tempo suficiente para que o organismo se recupere das grandes transformações trazidas pela gestação, o que inclui o aumento do volume da barriga e dos seios, o acúmulo de peso e de gordura e as mudanças hormonais.

Ao carregar o bebê por nove meses no ventre, as mulheres sofrem uma compressão constante e progressiva em órgãos como fígado, rins, bexiga e coração, e eles levam cerca de dois meses para voltar à sua posição normal.

Além disso, os primeiros meses do bebê exigem muito da mulher física e emocionalmente, pois, mesmo com uma rede de apoio, a amamentação e a maior parte dos cuidados ainda ficam a cargo da mulher, o que poderia impossibilitar o repouso necessário.

Considerando tudo isso, o tempo ideal para fazer qualquer cirurgia plástica não deve ser contado a partir do nascimento do bebê, mas sim a partir do momento em que a mulher para de amamentar.

Dessa forma, é preciso esperar no mínimo seis meses depois do fim da amamentação, mas o ideal mesmo é aguardar entre um a dois anos. A justificativa para esperar um tempo maior é que, nessa época, a criança já estará andando, o que diminui a necessidade de pegá-la no colo.

Ainda, devemos considerar a demanda emocional da mãe e do bebê, pois ambos precisam de uma convivência intensa, com muita interação e trocas, para descobrir um ao outro e construir esse relacionamento – e uma cirurgia plástica poderia atrapalhar esse processo.

Parto normal ou cesariano: nada muda

A abdominoplastia após a gravidez independe do tipo de parto, podendo ser feita igualmente em mulheres que deram à luz por parto normal ou por cesariana. O que pode mudar são as técnicas mais indicadas, dependendo das características de cada mulher.

Abdominoplastia associada com lipoaspiração e mastopexia

A abdominoplastia após a gravidez é indicada para corrigir a flacidez e o excesso de pele que se formaram na região da barriga. Para isso, o cirurgião reposiciona os músculos, dando pontos internos bem firmes, e retira o excesso de pele abaixo do umbigo, dando um novo contorno.

Já nos casos em que a mulher apresenta acúmulo de gordura no abdômen, pode ser necessário fazer uma lipoabdominoplastia, que inclui uma lipoaspiração para remover esse excesso. Para um resultado mais harmônico, cintura e flancos também podem ser aspirados.

Além disso, é comum a associação da abdominoplastia e a lipoaspiração com a mastopexia, que tem como objetivo levantar os seios que ficaram flácidos depois da gestação e da amamentação. Saiba mais sobre as cirurgias mais indicadas após o parto.

Recuperação da abdominoplastia após a gravidez

Os cuidados no pós-operatório são os mesmos de quem não deu à luz recentemente: evitar fazer esforço por duas a quatro semanas, não erguer nenhum peso por 30 dias e utilizar a cinta compressora por pelo menos um mês.

Porém, seguir esses cuidados é bem mais complicado com a presença de uma criança, especialmente porque, mesmo maiorzinhas, elas continuam pedindo e precisando do colo da mãe. Dessa forma, é essencial contar com uma boa rede de apoio nesse período.

Ainda, vale lembrar que a paciente sairá do hospital com um dreno e que os pontos do umbigo costumam ser retirados depois de 15 dias (os demais pontos não precisam ser retirados).

A abdominoplastia não impede a mulher de ter mais filhos

A abdominoplastia não é empecilho para que a mulher tenha mais filhos, pois não há modificações no sistema reprodutivo. Contudo, uma nova gestação e amamentação podem prejudicar os resultados da cirurgia.

Para minimizar esse efeito, é preciso controlar o ganho de peso em uma nova gravidez, mas o melhor mesmo é aguardar ter todos os filhos desejados antes de fazer a abdominoplastia.

Você já teve filhos? Como seu corpo ficou depois da gestação? Você gostaria de fazer alguma cirurgia plástica para recuperar sua antiga silhueta? Conte para a gente nos comentários!

  • 15
    Shares