11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira das 8h às 21h
Sábados das 10h às 14h

Mitos e verdades sobre o peeling facial

Entenda como funciona o peeling facial

Tire todas as suas dúvidas sobre o procedimento que promete inúmeros benefícios para sua pele!

 

Um dos procedimentos mais procurados por mulheres que desejam clarear manchas escuras no rosto, o peeling facial também oferece outros benefícios como o combate ao envelhecimento e a renovação da pele. 

Embora seja uma técnica que já existe há um tempo, muitas pessoas ainda tem dúvidas comuns sobre como é realizado, se ele é seguro ou até mesmo qual o melhor período para iniciar o tratamento. 

Diante disso, reunimos uma série informações, mitos e verdades sobre o assunto. Confira!

Afinal, o que é o peeling facial? 

Procedimento que envolve a descamação facial através do uso de ácidos, laser ou substâncias abrasivas, o peeling facial é indicado para tratar manchas na pele (seja de acne ou outras), rugas, estrias e até mesmo flacidez.

Atualmente, podemos classificar os tratamentos como três tipos de peelings: o superficial, o médio e o profundo. 

Como peeling superficial entende-se a técnica que atinge apenas a epiderme, sendo indicado para remover manchas e graus mais leves de melasma. 

No tipo médio, atinge-se a derme, portanto, é recomendado para tratar rugas, marcas mais profundas e até mesmo cicatrizes. Nestes casos, necessita-se de uma aplicação prévia de produtos específicos ou até mesmo uma sessão de peeling superficial. 

Já o profundo é indicado para tratar rugas, manchas, cicatrizes de acne e peles flácidas e extremamente enrugadas. Por se tratar de algo mais invasivo, é necessário realizá-lo em uma clínica ou hospital, mediante aplicação de anestesia. 

 

O peeling facial é um aliado para a pele

Mitos e verdades sobre o peeling

Conheça os principais mitos e verdades sobre o tema!

O peeling só é feito no rosto 

Mito. O procedimento pode ser realizado em muitas outras áreas do corpo, sendo benéfico principalmente para regiões com estrias, flacidez ou até mesmo manchas escuras como na virilha, costas e colo. 

Pessoas de pele negra não podem realizar o peeling

Mito. Pessoas de pele negra podem sim realizar o tratamento, porém, o tipo de ácido utilizado e sua concentração devem ser mais adequados para o tipo de pele em questão para garantir sua eficácia. 

Mulheres grávidas não podem se submeter a técnica

Verdade. Não é indicado que mulheres façam o peeling facial ou em qualquer outra área do corpo durante a gestação. Isso porque ainda não se sabem quais os efeitos causados para quem está nessas condições, portanto a dica é não arriscar. 

Peeling facial suaviza rugas

Verdade. O tratamento é recomendado para homens e mulheres que sofrem com os efeitos do envelhecimento na pele. Por promover a renovação celular, a técnica ainda ajuda a aumentar a elasticidade da pele proporcionando um rejuvenescimento facial.

Peeling resolve todos os problemas de pele

Mito. Embora a técnica ofereça muitos benefícios para diversos problemas na pele, para obter um resultado mais satisfatório, o ideal é combiná-la com outros procedimentos como o preenchimento facial, o botox, limpeza de pele e etc. 

O tratamento oferece riscos a pele

Verdade. Se o peeling facial for realizado com profissionais não certificados ou que não possuam conhecimento suficiente para aplicá-lo, o tratamento pode oferecer sérios riscos à paciente. 

Por isso, o recomendado é sempre procurar um profissional qualificado para realizar qualquer procedimento para garantir a sua segurança e é claro, bons resultados.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).