Envelhecimento da face: como funciona esse processo no organismo?

Entender sobre esse fenômeno é a chave para manter a pele jovem, bonita e saudável por mais tempo. Veja como prevenir e tratar o envelhecimento.

Você se olha no espelho e repara que tem alguns vincos a mais no canto dos olhos e ao redor da boca. Surgiram algumas manchinhas também, e a pele não parece mais tão firme quanto antes. Estes são sinais do envelhecimento da face.

Embora seja um processo natural do nosso organismo, dificilmente alguém fica feliz quando se depara com essas mudanças que indicam a passagem do tempo. Por isso, preparamos este material para você entender como elas acontecem e como preveni-las. Confira.

Como acontece o envelhecimento da face

Conforme avançamos na idade, as células do nosso corpo vão perdendo sua capacidade de se renovar, pois a velocidade com que as células novas substituem aquelas que morrem fica cada vez menor.

Isso acontece tanto nas células epiteliais quanto nos fibroblastos, as células que produzem colágeno, a proteína que dá sustentação à pele. Com isso, a pele fica mais sujeita ao surgimento de manchas, rugas e flacidez.

Esses fenômenos acontecem em função de alguns mecanismos naturais (envelhecimento intrínseco) e é acelerado por fatores externos (envelhecimento extrínseco).

envelhecimento da face

– Envelhecimento intrínseco

O envelhecimento intrínseco se manifesta na pele com o surgimento de linhas de expressão, ressecamento e diminuição da espessura do tecido. Esse fenômeno acontece principalmente pelos seguintes fatores:

  • Genética: o DNA das células sofre danos causados por toxinas, radiação UV ou pelo próprio avanço da idade, e elas perdem a capacidade de se multiplicar;
  • Hormônios: a queda dos níveis de hormônios sexuais e do crescimento acelera a deterioração da pele; nas mulheres, isso é sentido especialmente na menopausa;
  • Estresse oxidativo: consiste nos danos causados pelos radicais livres ao DNA celular com a consequente diminuição da taxa de renovação e a liberação de substâncias inflamatórias;
  • Glicação: trata-se de um processo no qual as moléculas de glicose se ligam às fibras de colágeno e elastina, causando um prejuízo na rede de sustentação da pele. O excesso de glicose pode ser endógeno (como na diabetes) ou exógeno (dieta inadequada).

– Envelhecimento extrínseco

Enquanto há pouco que podemos fazer para combater o envelhecimento intrínseco, o envelhecimento extrínseco é causado por fatores externos ao organismo e, por isso, pode ser prevenido, pelo menos em partes. Estes são os principais mecanismos:

  • Radiação solar: a exposição desprotegida ao sol provoca o surgimento de manchas, queimaduras, fotoenvelhecimento e câncer de pele;
  • Tabagismo: reduz o fluxo de sangue e a oxigenação da pele, favorece o surgimento de rugas ao redor da boca e diminui a elasticidade cutânea pelo calor da chama e o contato com a fumaça;
  • Álcool: favorece a formação de radicais livres e diminui a ação das enzimas que combatem os danos causados por eles, acelerando o envelhecimento da face;
  • Alimentação inadequada: a ingestão insuficiente de nutrientes essenciais para a manutenção do tecido cutâneo e o consumo excessivo de açúcar contribuem com o envelhecimento.

Esses mecanismos, especialmente a radiação solar e o tabagismo, aceleram e agravam o envelhecimento da face, pois deixam a pele áspera, amarelada, manchada e com uma quantidade maior de rugas em relação a um envelhecimento natural.

Não deixe de ver – Como é uma sessão de microagulhamento no rosto? Confira todos os detalhes!

Como prevenir o envelhecimento da pele

Embora seja impossível deter a passagem do tempo, o envelhecimento da face pode acontecer de forma mais lenta e com uma maior qualidade quando adotamos cuidados para prevenir a influência dos fatores externos. Conheça os principais:

  • Usar protetor solar diariamente: o protetor deve ter FPS 30 ou superior e deve ser usado mesmo em dias chuvosos ou dentro de casa.
  • Hidratar o rosto: o uso de cremes específicos para reforçar a camada de proteção da pele reduz a perda de água;
  • Hidratação do organismo: é preciso tomar pelo menos 2 litros de água por dia para hidratar o corpo e ajudá-lo a eliminar as toxinas;
  • Limpar a pele duas vezes ao dia: higienizar o rosto com água e sabonete neutro de manhã e à noite para remover resíduos de suor, oleosidade e poluição;
  • Fazer reposição de colágeno: recomenda-se fazer a reposição com sachês a partir dos 35 anos;
  • Ter um estilo de vida saudável: adotar uma dieta adequada, consumir bebidas alcoólicas com moderação, não fumar, dormir bem e evitar o estresse.
envelhecimento da face

Veja mais – Protetor solar facial: qual a sua eficacia contra o envelhecimento.

Tratamentos para o envelhecimento facial

Mesmo que não seja possível interromper o processo de envelhecimento da face, existem diversos tratamentos que ajudam a combatê-lo, estimulam a produção de colágeno e promovem uma aparência mais jovem. Conheça os principais:

  • Peeling químico: consiste na descamação da pele com a aplicação de substâncias ácidas para estimular a renovação celular e suavizar manchas, rugas e flacidez;
  • Peeling de cristal: a descamação é feita por um processo de microdermoabrasão para tratar manchas, rugas e cravos;
  • Toxina botulínica: é o famoso Botox, utilizado para paralisar os músculos responsáveis pelas rugas que aparecem quando fazemos uma expressão facial;
  • Preenchimento: utiliza o ácido hialurônico para preencher sulcos e olheiras profundas e para repor o volume perdido de áreas como lábios e maçãs do rosto. Existem técnicas especiais como MD Codes e 8 point lift;
  • Lifting com fios: utiliza fios de sustentação para levantar a pele do rosto e do pescoço;
  • Laser de CO2: aplicação do laser fracionado para tratar rugas, flacidez, poros abertos e cicatrizes de acne e para uniformizar a cor da pele;
  • Microagulhamento: utiliza um roller com microagulhas para estimular a regeneração da pele e a produção de colágeno, tratando rugas, cicatrizes, melasmas, poros abertos e flacidez;
  • Sculptra: aplicação de uma substância que estimula o funcionamento dos fibroblastos e aumenta a produção de colágeno, combatendo a flacidez.

A escolha do melhor tratamento depende das características da pele de cada pessoa. Por isso, se você ficou interessada, agende sua avaliação presencial com a Dra. Luciana Pepino para saber mais sobre esses procedimentos estéticos e cirurgias plásticas rejuvenescedoras.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).