Colágeno para a Pele, como Retardar a Perda

evitar perda de colageno

Descubra que medidas você pode tomar para evitar a diminuição dos níveis de colágeno para pele e para o corpo com o passar dos anos

Produzido naturalmente pelo nosso corpo, o colágeno é uma proteína que age como uma “supercola” e tem várias funções estruturais no nosso organismo.

Essa proteína é composta por 3.000 aminoácidos, que formam uma hélice tripla e flexível.

Na estética, a função mais valorizada do colágeno é a de proporcionar firmeza e elasticidade à pele, mantendo-a no lugar com o passar dos anos.

Entretanto, essa proteína também está envolvida na força e na resistência dos cabelos e unhas, na sustentação dos nossos órgãos internos, no fortalecimento de tendões e ligamentos e na manutenção da unidade das nossas células.

Quando chegamos à casa dos 30 anos, a produção de colágeno começa a cair no nosso organismo. Uma das consequências disso é a diminuição da elasticidade e da firmeza da pele, permitindo que efeitos do envelhecimento se manifestem com mais ênfase no nosso rosto.

como não perder colageno

Os Entre esses efeitos da perda de colágeno, estão o aparecimento das rugas, a perda da elasticidade da pele, o surgimento da flacidez, a diminuição da densidade óssea e o enfraquecimento do cabelo, entre outros.

Por isso, é essencial manter os níveis de colágeno, retardando a sua perda, para conservar uma pele bonita e jovem, evitando por mais tempo o surgimento dos sinais do envelhecimento.

Perder colágeno é um processo natural e inevitável, e todas nós vamos passar por isso. Entretanto, é possível retardar a queda na produção e manter a pele jovem por mais tempo. Para isso, é necessário tomar alguns cuidados e seguis alguns hábitos. Vamos conhecê-los.

Diga adeus ao cigarro

Se você é fumante, é preciso ficar ciente de que, além de todos os malefícios que já conhece, como câncer e enfisema pulmonar, o cigarro também é um agente que facilita o envelhecimento precoce.

Alguns pesquisadores inclusive defendem que o tabaco é ainda mais prejudicial do que o sol quando pensamos no envelhecimento cutâneo.

O ato de fumar favorece a formação de radicais livres, que atacam as fibras de elastina e colágeno localizadas na camada mais profunda da pele.

Com isso, surgem rugas mais aparentes do que aquelas causadas pela radiação solar. Além disso, o cigarro destrói as fibras que sustentam pele do rosto, fazendo com que aparecem sulcos muito marcados ao redor da boca e dos olhos.

As mulheres sofrem ainda mais com os homens quando o assunto é cigarro e envelhecimento, pois a nicotina atrapalha o fluxo do estrógeno – hormônio envolvido no processo de fabricação de elastina e colágeno – para a pele.

Se você já passou dos 40 pode conferir nossas dicas de como cuidar da pele do rosto. Pode facilitar muito na conservação do colágeno da sua pele.

Mantenha uma alimentação saudável

Para ajudar a manter o colágeno para a pele em níveis saudáveis a alimentação é fundamental. Além de ser uma das causas da obesidade, o excesso de açúcar favorece o envelhecimento. Por incrível que pareça, isso infelizmente é verdade.

Quando é consumido em excesso, o açúcar se liga ao colágeno, resultando na perda da elasticidade da pele.

Por isso, em vez de esbaldar nos doces, dê preferência a alimentos que contribuam para a formação de colágeno:

  • Carnes e ovos: fontes de proteínas;
  • Frutas cítricas: a vitamina C participa da síntese de proteínas;
  • Frutas vermelhas: são antioxidantes;
  • Castanhas e nozes: contêm selênio e zinco;
  • Aveia: fonte de silício;
  • Tomate, pimenta e beterraba: fontes de licopeno;
  • Vegetais verdes-escuros: fornecem vitamina C e são antioxidantes;
  • Vegetais laranjados: fontes de vitamina A, que ajuda a restaurar o colágeno danificado.

Vale notar que a gelatina de caixinha pode até ser famosa por “conter colágeno”, mas, no caso desse alimento, a proteína é de difícil absorção pelo nosso organismo e não tem poder de repor a perda.

Fora isso, as gelatinas ainda podem conter adição de açúcar e corantes artificiais.

O sol é um vilão que contribui para a perda de colágeno

Você já ouviu falar em fotoenvelhecimento? Para quem não conhece, trata-se do envelhecimento causado pela exposição desprotegida ao sol.

Além de pode causar queimaduras, manchas e até mesmo um câncer de pele, a radiação solar é capaz de destruir as fibras de colágeno.

Como consequência, a pele fica mais fina e com uma coloração amarelada, as rugas ficam mais profundas e os poros e dilatam.

Por isso, é obrigatório que você use protetor solar com FPS de no mínimo 30 religiosamente todos os dias, mesmo naqueles em que o tempo esteja nublado ou que você não vá sair de casa.

Para facilitar o processo de conservação da pele do seu rosto, pode ser interessante recorrer ao peeling. Uma alternativa para limpar as impurezas da sua pele.

A suplementação de colágeno é uma grande aliada

A partir dos 35 anos de idade, é recomendável iniciar uma suplementação de colágeno para repor as perdas causadas pela diminuição na produção dessa proteína pelo corpo.

Para que a suplementação realmente funcione, a dose diária recomendada é de 8 a 10 gramas.

O colágeno que vem nos produtos de suplementação é extraído a partir de ossos, cartilagem, pele e tendões de animais como bois, porcos e aves.

A proteína então passa pelo processo de hidrólise (quebra pela água), transformando-se no colágeno hidrolisado. Isso é feito para que ele possa ser absorvido mais facilmente pelo nosso organismo.

Estima-se que 90% dos aminoácidos do suplemento sejam absorvidos em até 6 horas pelo nosso corpo.

Depois disso, essas moléculas conseguem estimular a síntese e a reorganização das fibras de colágeno, resultando em um aumento na firmeza e na elasticidade da pele, evitando a flacidez.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).