Dicas de Beleza: Seja uma Mulher Realmente Linda. É tudo um Conjunto

Coco Chanel em pose deslumbrante, na década de 60

Dicas de beleza: Saiba por que ser bonita não é sinônimo de ser perfeita

“A beleza começa no momento no qual você decide ser você mesmo.” Pode parecer uma frase comum, mas sabe quem disse isso? A própria Coco Chanel, ícone da moda e da beleza, que revolucionou o mundo fashion!

Coco Chanel em pose deslumbrante, na década de 60

Mas o que será que Coco quis dizer com essas palavras? Vamos pensar juntas.

Você se considera uma mulher bonita? Veja bem, não estamos perguntando se você se considera perfeita, se você gostaria de mudar o nariz ou se gostaria de perder alguns quilos.

Nossa pergunta é no sentido mais geral: como você se sente ao olhar no espelho?

Enquanto os homens costumam ter uma autoestima mais elevada, nós mulheres aprendemos a negar a nossa beleza, pois somos convencidas de que existe uma única forma de ser bonita: sendo alta (mas não muito), magra, de pele clara e cabelos esvoaçantes. E, é claro, jovem.

Mas será que isso é verdade? Você mesma pode dizer. Você conhece mulheres bonitas que sejam próximas a você? Talvez a sua mãe, a sua irmã, as suas amigas…

Procure pensar em mulheres que convivam com você. Certamente, você tem vários exemplos de mulheres lindas que não têm exatamente o perfil que aparece nas capas de revista e que fazem sucesso no Instagram, não é mesmo?

1ª dica de beleza: Seja gentil com você mesma

Agora que você listou uma série de mulheres “comuns” que você considera bonitas, reflita: por que será que, às vezes, não conseguimos nos achar bonitas? Acontece com todo mundo.

É muito mais fácil reconhecer a beleza nas outras pessoas do que em nós mesmas.

Isso acontece porque temos uma tendência muito forte a focar nos nossos pontos negativos.

Talvez você seja uma mulher muito elegante, sorridente e com cabelos maravilhosos, mas não se considere bonita por estar acima do peso considerado ideal.

Ou, quem sabe, você até esteja no peso ideal, mas acha que você tem pouco peito, e por isso você não está satisfeita com você mesma.

Ainda, pode ser que você olhe suas fotos antigas e pense que você já foi uma mulher bonita, mas que hoje você não é mais.

Será que isso é verdade mesmo? Imagina se a sua aparência fosse a aparência da sua melhor amiga ou a da sua mãe. Você a acharia feia? Ou será que você daria mais importância para os pontos positivos?

A beleza da mulher é um conjunto

O que nós queremos dizer é que, em geral, somos muito críticas em relação a nós mesmas e damos importância demais aos nossos pontos fortes.

Talvez você realmente tenha uma barriguinha mais saliente, mas será que isso é suficiente para você não se considerar bonita?

Pois não deveria ser! A beleza de mulher é muito mais do que apenas um corpo e um rosto perfeitos – tanto que nos chamados concursos de beleza também são avaliados critérios como simpatia, desenvoltura, cultura e elegância.

É claro que a aparência é o carro-chefe desses desfiles, mas a beleza sozinha não basta.

Nossa beleza é, além da aparência, a soma de nossas características como a generosidade, a educação, o senso de humor, o estilo e a elegância.

E essas características, como você sabe, variam de pessoa para pessoa.

Tentar reproduzir o estilo de uma celebridade talvez não nos deixe mais bonitas se ele não combinar com a nossa personalidade.

E isso vai ao encontro do que Coco Chanel disse: para ser bonita, você precisa ser você mesma. Afinal, a sua beleza vem de você, e não é possível pegar a beleza “emprestada” de outra pessoa.

Ou seja, não adianta querer ter o nariz, a barriga, os cabelos ou o estilo do seu ideal de beleza, pois não é apenas um desses detalhes que definirá se você é bonita ou não.

Então eu preciso me contentar com tudo? Onde ficam as cirurgias plásticas nessa história?

Calma que não é assim! A aceitação das suas próprias características não significa que você não pode querer modificar alguma parte do corpo com uma cirurgia plástica ou um procedimento estético.

Aceitar-se significa que, apesar de você não gostar de uma característica sua, você tem a confiança de que o seu conjunto é belo.

Quando acreditamos que só seremos bonitas quando finalmente fizermos a tão sonhada rinoplastia ou a mamoplastia de aumento, é bem possível que não nos sintamos satisfeitas depois da cirurgia!

Isso porque estamos colocando toda a expectativa da nossa beleza sobre o resultado do procedimento, sem conseguir separar um único ponto fraco do restante do conjunto.

As cirurgias plásticas e os tratamentos estéticos existem para que nos sintamos mais belas, é verdade, mas é preciso saber que eles vão agir sobre um ponto específico do nosso corpo.

Ou seja, uma mamoplastia redutora vai diminuir o tamanho dos seios, uma lipoaspiração vai remover o excesso de gordura de determinadas regiões e a bleferoplastia vai corrigir a pálpebra caída, mas nenhuma cirurgia vai fazer com que você desenvolva a sua autoestima.

A partir do momento em que nos aceitamos e temos consciência das nossas qualidades, nos tornamos mais aptas a reconhecer quais partes do nosso corpo estão em desarmonia com a nossa aparência.

Somente depois desse processo de autoconhecimento é que uma cirurgia plástica vai fazer com que você realmente se sinta mais bonita, afinal, a beleza é o todo como nós nos apresentamos, e não apenas uma silhueta esculpida.

CTA Ainda tem duvidas