11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Barriguinha de cerveja: mito ou verdade?

Chega de terror: estudo mostra que a cerveja, sozinha, não é a vilã da história.

É engraçado como nós ouvimos algumas coisas ao longo da vida e elas se tornam praticamente verdades absolutas, sem muitos questionamentos: são os mitos. É o caso da barriguinha de cerveja, terror de homens e mulheres que adoram dar aquela descontraída básica nos finais de tarde ou nos finais de semana tomando um chopinho com os amigos, principalmente no verão. Mas será que essa tal “barriguinha” é causada mesmo pela cerveja ou isso é apenas mais um dos mitos que assombram a vaidade humana? Pesquisadores da Alemanha, um dos países onde a bebida mais é consumida no mundo, resolveram testar a questão de uma vez por todas e descobriram que ela, em si, não é a responsável por barriguinha nenhuma. Ou seja, puro mito.

A pesquisa, feita por cientistas da Fulda University of Applied Sciences, da University of Gothenburg e do Institute of Human Nutrition Postdam-Rehbrücke, foi publicada no jornal Daily Mail e mostra que, apesar de a cerveja não ser a culpada pela barriguinha especificamente, ela pode engordar, sim. Durante quatro anos foram analisadas 20 mil pessoas, entre homens e mulheres, que detalhavam diariamente o consumo de bebida e tinham o peso, a medida do quadril e da cintura analisados periodicamente. O resultado? Tanto os consumidores de cerveja quanto os não consumidores ganharam a barriguinha da mesma forma. A conclusão dos estudiosos é que a cerveja interfere no peso sim, mas no aumento da gordura corporal total, não apenas na área da barriga. As mulheres, por exemplo, acabam ganhando mais massa gordurosa no quadril do que na barriga.

Bem, você pode pensar, é quase como trocar seis por meia dúzia: quadril, barriga, cerveja engorda de qualquer jeito porque é calórica, apesar de ser a menos calórica entre as bebidas alcoólicas, cerca de 140 Kcal por lata, menos ainda que o suco de laranja. Por outro lado, a cerveja, como qualquer outra bebida alcoólica, aumenta os níveis de triglicerídeos no sangue, favorecendo o surgimento da gordura visceral. Mas o fato é que tudo tem a ver também com o bom senso de não beber em excesso – até porque até hoje ainda não inventaram alguma coisa que em excesso não faça mal – com o estilo de vida, com a genética e ainda com o hábito de saborear aqueles petiscos deliciosos junto com o chopinho. Como eles normalmente são gordurosos, as calorias aumentam consideravelmente. Além disso, o excesso de líquido junto com outros alimentos faz o estômago dilatar, exigindo um consumo cada vez maior de comida. Como nos homens o volume de gordura adquirida costuma de concentrar da área do abdome, está criado o mito da barriguinha de cerveja.

Perder a barriga, seja do que for, não é nem nunca foi uma tarefa fácil, então a melhor forma é evitá-la com exercícios físicos e uma alimentação saudável, evitando o chopinho diário e o excesso de comida, claro. A responsabilidade alimentar é fundamental para prevenir ou acabar com barriguinha, pneus, gordura nos quadris ou o sobrepeso de uma forma geral, acompanha por exercícios físicos realizados, de preferência, sob a supervisão profissional. Se não for possível entrar para uma academia, procure fazer caminhadas diárias de pelo menos 40 minutos. Resumindo: o que faz a barriga e o sobrepeso aparecerem é uma conjunção de fatores – álcool, sedentarismo, alimentação inadequada – mas não dá para colocar a culpa toda na cervejinha.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).