Saiba como a ansiedade pode influenciar no seu peso

Como controlar a ansiedade

Aumento de peso e ansiedade podem estar relacionados. Conheça os sintomas e como as alterações afetam o peso

Muitas pessoas desconhecem, mas há uma relação direta entre aumento de peso e ansiedade devido às alterações internas e comportamentais que podem afetar o quanto comemos e como nosso organismo lida com o que ingerimos.

Além de ganhar peso, a ansiedade também pode atuar no sentido oposto e causar um emagrecimento demasiado e prejudicial à saúde. Os dois casos são problemáticos e demandam acompanhamento médico especializado. Saiba mais a seguir!

Quais as causas e sintomas da ansiedade?

Antes de aprofundarmos a relação entre aumento de peso e ansiedade é importante conhecer as causas e sintomas desse quadro para identificá-lo em menos tempo e atuar proativamente para combatê-lo.

A ansiedade pode ter uma causa específica ou ser fruto de um estilo de vida não saudável. Entre as causas normalmente relacionadas ao problema destacam-se:

  • estresse agudo ou crônico;
  • eventos traumáticos (acidente, doença, luto, separação e outros);
  • problemas da tireoide;
  • serotonina disfuncional;
  • consumo excessivo de álcool ou tabaco;
  • ingestão demasiada de cafeína ou açúcar;
  • desequilíbrio hormonal.

Algumas dessas causas são mais fáceis de identificar que outras, mas não é incomum que a ansiedade esteja associada à depressão, o que pode levar a uma maior dificuldade para aceitação do problema.

Reconhecer os sintomas da ansiedade também é uma forma de identificar a presença do problema para buscar auxílio médico especializado. Alguns dos sinais incluem:

  • tensão muscular;
  • palpitações cardíacas;
  • aumento da pressão arterial;
  • insônia;
  • problemas digestivos;
  • ataques de pânico;
  • irritabilidade;
  • dificuldade de concentração;
  • fobia social;
  • perda ou aumento de peso.

No longo prazo, a ansiedade pode levar a problemas diversos, incluindo distúrbios cardíacos, baixa imunidade, prejuízos respiratórios, maior propensão às úlceras e outros problemas digestivos, mudanças metabólicas e sobrecarga emocional.

Qual a relação entre o aumento de peso e ansiedade?

Como visto, um dos sintomas da ansiedade é justamente a alteração no peso, principalmente o aumento de peso, mas é importante saber que a perda rápida de peso e falta de apetite também podem ser sinais do problema.

A seguir conheça alguns fatores que fazem com que a relação entre aumento de peso e ansiedade seja tão expressiva.

Mudanças hormonais

O organismo responde a situações de ansiedade aumentando a produção do hormônio cortisol, também chamado de hormônio do estresse, além de aumentar a adrenalina, pois entende que é necessário “fugir” ou “lutar” contra algo.

Com a maior liberação de cortisol e adrenalina, o organismo entende que precisa reabastecer as reservas energéticas, o que aumenta a fome, ainda que você não esteja gastando as calorias adicionais.

Dessa forma, aumenta a vontade de comer doces, salgados, frituras e demais alimentos gordurosos, pois o organismo entende que eles proporcionam mais prazer.

Além desses processos, o aumento do cortisol reduz a produção de testosterona que é responsável pela formação dos músculos.

Dessa forma, o corpo queima menos calorias, aumenta o consumo delas, que por sua vez  acabam sendo transformadas em gordura, causando o ganho de peso.

Dicas para controlar a ansiedade

Alterações metabólicas

A ansiedade gera uma aceleração do metabolismo que não se reflete na maior queima calórica, mas sim em uma sensação de esgotamento físico e emocional, além de dificuldade de concentração.

Quando o quadro é crônico, a manutenção do metabolismo acelerado leva a doenças psicossomáticas, como enxaquecas, gastrite, fibromialgia e problemas cardíacos.

No longo prazo, a ansiedade também está associada ao ganho de peso e obesidade.

Compulsão alimentar

Talvez você já teve algum momento de ansiedade que te levou a ter uma vontade, quase de incontrolável, de alimentos gordurosos.

O que acontece é que o problema pode desencadear uma compulsão alimentar com vontade maior de alimentos ricos em carboidratos e açúcares, como doces, pães e massas.

Isso se deve ao fato de que os carboidratos estimulam a produção de serotonina, hormônio responsável pela sensação de bem-estar que alivia momentaneamente a ansiedade.

No longo prazo, esse consumo adicional de calorias leva ao ganho de peso e possível obesidade.

Apesar de ser mais comum a relação entre aumento de peso e ansiedade, também pode ocorrer o contrário, com a pessoa parando de se alimentar, principalmente se ela tiver algum transtorno alimentar prévio, como anorexia e bulimia, associado à ansiedade.

Diminuição da motivação

Além dos prejuízos mencionados anteriormente, o excesso de cortisol no organismo leva a um problema adicional: a falta de motivação.

Com isso, mesmo com uma alimentação mais propensa a alimentos calóricos e gordurosos, a pessoa não sente motivação para praticar exercícios físicos ou alimentar-se bem.

Como consequência, ocorre um maior acúmulo de gordura, levando ao ganho de peso.

Qual o tratamento indicado para ansiedade?

Quando o aumento de peso e ansiedade estão relacionados, não adianta buscar tratamentos apenas com foco no emagrecimento, seja uma rotina de exercícios ou um procedimento estético.

A recomendação é que seja feito o tratamento da ansiedade em si, pois o emagrecimento pode ser acompanhado de novo ganho de peso em decorrência da continuidade da ansiedade.

O tratamento para ansiedade pode incluir um acompanhamento psicoterapêutico ou psiquiátrico quando houver a necessidade de uso de medicamentos específicos.

Apesar disso, existem formas de amenizar os quadros de ansiedade e que vão ajudar no controle do peso, como a reeducação alimentar, realizar periódica de atividades físicas e dedicar tempo aos cuidados pessoais.

A ideia é que a melhora do cuidado pessoal – o que inclui a alimentação e exercícios – ajude no bem-estar e, consequente, controle hormonal, redução da compulsão alimentar e maior disposição física e emocional.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
WhatsApp Clique aqui e fale conosco via WhatsApp