11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Aparecimento de estrias na musculação, é possível?

estrias na musculação

Descubra se é possível ocorrer o surgimento de estrias na musculação.

Antes de começar a falar sobre elas, já adiantamos que: sim, é possível. As estrias são uma das coisas mais desagradáveis que podem ocorrer quando estamos em busca de um corpo belo e saudável. Elas podem ocorrer com ambos os sexos, sendo algo bastante incômodo e nada bonito de se ver.
Durante a musculação, elas também podem aparecer e acabar “deformando” a pele do corpo com a hipertrofia dos músculos. As estrias são mais comuns em pessoas que fazem uso de esteroides anabolizantes, já que o crescimento se dá de forma mais acelerada e os mecanismos do corpo acabam não suportando.
Esse processo é reversível quando as estrias estão na cor vermelha. Nesse estágio, as fibras se rompem por conta do aumento de peso – ou de músculos – e a pele que foi esticada à força inflamou, daí o aspecto avermelhado. Isso significa que elas são recentes e com o tratamento adequado é perfeitamente possível extingui-las. Já as estrias esbranquiçadas estão no estágio final e, portanto, não podem ser revertidas.
A cor branca indica que as fibras que já haviam sido rompidas passaram pelo processo de cicatrização e não voltarão ao normal. Apesar de não poderem ser revertidas, elas podem ser tratadas esteticamente.

Como evitar as estrias?

Agora que já sabemos um pouco mais sobre as estrias, aprenderemos como tomar os devidos cuidados para evitar seu aparecimento ou agravamento. As causas mais comuns do surgimento das estrias são: a perda ou ganho acelerado de peso, gravidez, efeito sanfona, crescimento acelerado na adolescência, entre outras.

De fato, uma das formas mais eficientes de se livrar as estrias é adotar uma alimentação rica em nutrientes e vitaminas. Ao fazer musculação, esse cuidado deve ser ainda maior para que os músculos possam crescer de forma saudável. Se a intensão for a perda de peso, faça-o com consciência e tenha paciência com o processo.

Quando se perde peso de forma acelerada o corpo não consegue acompanhar a velocidade do emagrecimento e, com isso, surgem as temidas “pelancas” ou estrias no corpo.

Fique também de olho no ressecamento da pele, já que pele ressecada indica que ela terá dificuldade para esticar e ficará mais vulnerável ao rompimento das fibras. Use sempre hidratantes a base de retinol, elastina e colágeno para evitar seu aparecimento.

Aliás, a hidratação é um dos pontos chaves no processo de hipertrofia dos músculos e, quando falamos sobre hidratação, lembramos também da própria ingestão de água, que precisa ser, no mínimo, de dois litros diariamente – ou mais no caso dos atletas.

Como posso tratar as estrias?

Se você não agiu a tempo e as benditas já estão marcando presença, calma! Antes de começar a entrar em desespero, saiba que existe tratamento. É importante lembrar de que quanto mais rápido o tratamento for iniciado, melhores chances de cicatrização a pessoa terá.

Para as estrias vermelhas, utilize ativos cicatrizantes como uréia, centella asiática ou as próprias vitaminas C e E. Aplique os hidratantes sobre as estrias diariamente e, em uma semana, você verá os resultados. Se suas estrias já cicatrizaram e deixaram manchas brancas, infelizmente não há solução para mandá-las embora, mas, como mencionamos acima, seu aspecto pode ser amenizado. Para tal, basta fazer uso de óleos de orquídeas ou amêndoas.

Para as estrias brancas, muitas vezes o tratamento caseiro não é tão satisfatório. Se esse for seu caso, saiba que existem também muitas outras formas de tratamento clínico, tais como o microagulhamento, a carboxiterapia, o laser de CO2, a dermoabrasão, o peeling de ácido retinóico, a galvanoterapia e a intradermoterapia – esses tratamentos devem ser realizados por dermatologistas capacitados.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).