(11) 3285-6412Segunda a Sexta-Feira das 10h às 19h
Clínica Especializada em Cirurgias Plásticas
  • A Clínica
  • Cirurgias
  • Procedimentos
  • Informações
  • Dicas
  • Contato
  • Blog
Agendar Consulta
retornar
descubra mais sobre a alopecia e quando é indicado cada tratamento.

Casos de alopecia que podem ser tratados com medicamentos e quais necessitam transplante?

Indicação de tratamento medicamentoso ou cirúrgico para alopecia androgenética depende diretamente da evolução do quadro. Saiba mais!

A alopecia androgenética é uma condição genética que acomete principalmente homens e os predispõe à calvície podendo se manifestar ainda na juventude ou após os 40 anos, em média. Ela normalmente começa com a miniaturização dos fios, ou seja, o afinamento da haste capilar, e a perda de cabelo nas têmporas (conhecidas como “entradas”). 

No longo prazo, devido à ação do hormônio di-hidrotestosterona (DHT) os folículos pilosos do topo da cabeça vão perdendo vitalidade até que ocorra a atrofia definitiva e o cabelo pare de nascer. O tratamento mais adequado para alopecia, se medicamentoso ou cirúrgico, depende diretamente da gravidade e evolução do quadro.

Tratamento medicamentoso para alopecia

O tratamento medicamentoso é recomendado para casos em que a perda de cabelo é recente e diagnosticada precocemente pelo especialista.  Nesses casos, os pacientes têm maiores chances de conseguir interromper os sintomas da alopecia e ter resultados satisfatórios com essa abordagem.

Os medicamentos mais indicados para casos de alopecia androgenética incluem o minoxidil e a finasterida. Essas medicações podem ser prescritas em versão tópica ou de via oral. Para casos mais graves, pode ser recomendada a aplicação subcutânea de medicações em conjunto com complexos vitamínicos, por exemplo.

Tratamento cirúrgico para alopecia 

menina com diagnóstico de alopecia

Para quadros nos quais a alopecia já é diagnosticada tardiamente, com perda significativa de cabelo, o tratamento medicamentoso apresenta resultados limitados.Nesses casos, o especialista pode indicar a realização do tratamento cirúrgico para alopecia por meio do transplante de folículos pilosos.

Ainda não se sabe porque, mas a calvície acomete apenas os folículos pilosos do topo da cabeça, de forma que a região da coroa possa ser usada como doadora. 

Técnica FUE

a extração de unidade folicular consiste na remoção individual dos folículos pilosos da região doadora do couro cabeludo e transplante capilar para área calva.

Técnica FUT 

o transplante de unidade folicular consiste na remoção de uma faixa de folículos pilosos da região doadora e seleção de faixas menores ou folículos individuais para transplante na região receptora do topo da cabeça.

A definição de qual técnica de transplante capilar é mais propícia ao caso vai depender diretamente da avaliação do especialista. A FUT costuma ser indicada para pacientes com áreas calvas maiores, pois viabiliza o transplante de mais unidades foliculares.

Mulheres com alopecia

As mulheres também podem apresentar alopecia androgenética sendo que no caso delas a manifestação costuma ocorrer após a menopausa, com a miniaturização, que causa a perda de volume capilar, e perda difusa de cabelo.

Para as mulheres também pode ser recomendado apenas o tratamento medicamentoso no caso de diagnóstico precoce e, quando a condição fica mais proeminente, pode ser necessário recorrer à cirurgia para resultados mais satisfatórios, sendo a FUE uma opção comum.

A avaliação especializada é fundamental na definição do melhor tratamento para essa condição e a busca por um profissional já no início dos sintomas aumenta as chances de sucesso do tratamento sem precisar recorrer à cirurgia. Agende sua consulta aqui e tire suas dúvidas!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.


Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Dra. Luciana L. Pepino.

Diretora Técnica Médica

CRM-SP: 106.491

RQE: 25827

Membro da ISAPS – International Society of Aesthetics Plastic Surgery

Membro da ASPS – American Society of Plastic Surgeon

Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica SBCP

Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Residência Médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte – MG

Formada em Medicina pela faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte – MG

Agende sua consulta

Deixe o seu comentário


    Leia Também

    Carregando...

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    Quero ajudar!
    imagem de uma criança fantasiada de super-herói em meio a uma situação de miséria
    logo

    Campanha #ViralizeOBem

    Agora você tem em suas mãos a oportunidade de transformar vidas. 50 milhões. Não é prêmio acumulado da Mega-Sena. São 50 milhões de brasileiros passando fome. E você pode transformar essa triste realidade, participando da nossa missão!

    Quero ajudar!

    Assine nossa newsletter

    Assine e receba dicas, novidades, materiais e muito mais.

    whatsapp

    Cirurgias

    Procedimentos

    Links Úteis

    Telefones de Contato

    Políticas de Privacidade

    Dra. Luciana L. Pepino. Diretora Técnica Médica

    CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

    logo

    2022. Dra. Luciana Pepino

    Todos os direitos reservados.