11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

A importância da revisão da prótese de silicone

Monitoramento periódico permite identificar momento ideal para trocar a prótese de silicone.

A troca de prótese de silicone é um tema que frequentemente gera dúvidas entre mulheres que realizaram a mamoplastia de aumento, mas também aquelas que têm interesse em fazer essa cirurgia estética.

De fato, é fundamental que haja uma revisão periódica da prótese de silicone para garantir a saúde e bem-estar. Saiba mais a seguir!

Quando a revisão da prótese de silicone é necessária?

A revisão para avaliar a necessidade de troca de prótese de silicone deve ser periódica para todas as mulheres que realizaram a colocação de prótese para aumento das mamas.

Não existe uma validade específica para a prótese, sendo que a segurança e integridade dependem do material usado e também da reação do organismo, portanto, a avalição é individualizada.

O mais indicado são revisões a cada cinco anos caso a paciente não identifique nenhum sintoma relacionado à prótese ou em menos tempo caso identifique desconfortos e alterações estéticas nos seios. Entre os exames que podem ser indicados destacam-se:

  • ultrassonografia: pode ser realizado anualmente em com os demais exames ginecológicos e indica se há alterações nas próteses;
  • mamografia: realizado periodicamente de acordo com a idade da paciente e predisposição genética ao câncer de mama permite verificar se há anormalidades como nódulos, calcificações e contraturas capsulares;
  • ressonância magnética: realizado com intervalos de 5 anos, esse exame permite verificar detalhadamente a condição da prótese e também pode ser solicitado caso haja a suspeita de alteração que outros métodos não permitem visualizar.

Com a paciente observando alterações nas mamas e realizando a revisão periódica da prótese é possível identificar em menos tempo a necessidade de troca de prótese de silicone, reduzindo os riscos à mulher.

 

Quando fazer a troca de prótese de silicone?

Mesmo com todos os cuidados adotados, pode ser preciso fazer a troca de prótese de silicone. Alguns sintomas indicam essa necessidade, como:

  • enrijecimento dos seios;
  • dor ou desconforto das mama;
  • alteração estética com o implante ficando visível;
  • em caso de vazamento ou ruptura da prótese;
  • endurecimento da cicatriz cirúrgica;
  • caso haja alterações estéticas, como flacidez em decorrência de oscilações de peso ou gestação;
  • caso a paciente deseje mudar o tamanho da prótese;
  • se ocorrer o encapsulamento e contratura capsular.

A contratura capsular consiste na ocorrência mais frequente associada à prótese mamária e ocorre devido uma resposta do organismo para isolar o silicone criando uma cápsula de membrana fibrosa.

Nem sempre essa situação desencadeia problemas estéticos ou de saúde à paciente, mas o monitoramento médico é indispensável para garantir a segurança.

Qualquer alteração mencionada anteriormente exige que seja feita uma investigação minuciosa em relação à prótese. 

Caso o especialista confirme que há alguma alteração prejudicial pode ser recomendada a troca de prótese de silicone ou o explante mamário, caso a paciente opte por essa alternativa.

Em geral, a cirurgia de substituição pode ser realizada a partir da mesma cicatriz do primeiro procedimento, não resultando em nova cicatriz. No entanto, apenas uma avaliação individualizada poderá confirmar essa opção.

Mesmo que a paciente tenha feito a colocação da prótese há mais de 10 anos, se estiver tudo saudável e normal com a prótese, a troca não será necessária. Converse com um cirurgião plástico e tire suas dúvidas!

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).