Menu

Os riscos de fazer exercícios sem orientação

Os riscos de fazer exercício sem preocupação

Exercício físico faz bem à saúde, certo? Nem sempre! Para muitos, os resultados obtidos foram justamente opostos aos esperados. Por isso, é de extrema importância que primeiro você saiba quais exercícios correspondem ao seu condicionamento físico e idade. Assim, você vai poder se exercitar sem colocar sua saúde em risco. Mas, quais são realmente os riscos de se fazer exercício sem preocupação? Neste texto vamos abordar os principais aspectos a serem levados em consideração antes sair se exercitando em casa ou ao ar livre.

Separamos alguns pontos essenciais que vão lhe informar sobre cuidados importantes a serem tomados para uma prática saudável de exercícios.

Dose certa
Qualquer atividade física em excesso ou sem uma orientação professional competente, desde a mais simples até às mais complexas, pode provocar o surgimento de problemas físicos e mentais relacionados ao chamado “overtraining” – uma palavra inglesa usada para nomear uma síndrome, que designa a convenção de sinais e sintomas capazes de provocar um intenso cansaço mental somada a uma nítida queda de desempenho do praticante. Apenas um professional experiente será capaz de analisar seu condicionamento físico real e adequar o tipo de atividade física à sua realidade. Logo, evite se aventurar em posições mais complicadas sem que tenha sido orientado anteriormente, visto que os danos que você pode ocasionar a si mesmo, não são poucos.

Possíveis Danos
A lista de possíveis danos é longa e o risco corrido bastante elevado, caso os cuidados citados a cima não sejam tomados. Nela estão inclusas variadas formas de lesões em diversos graus de gravidade, fortes dores musculares e alterações de postura. Além do aspecto físico de dor, o treino inadequado costuma geralmente causar enxaqueca, disfunções da articulação, piora da pressão arterial, alteração da pulsação cardíaca e até infecções em consequência do enfraquecimento do sistema imunológico. Como se isso tudo já não fosse suficiente, eventuais distúrbios provindos da elevação do índice de estresse durante o dia, ou mesmo a insônia causada por dores, são capazes de alterar nosso humor gerando cansaço, impaciência, irritação e desmotivação. Em casos mais graves, deve-se considerar a presença de outros transtornos ainda mais curiosos: as crises de ansiedade e uma latente agressividade.

Recomendações finais
Você já deve ter ouvido algumas vezes a seguinte frase: o corpo humano é como uma máquina. De fato, como qualquer máquina, na falta dos cuidados mínimos necessários e desrespeitando seus limites, o corpo tende a se desgastar cada vez mais conforme o treino se intensifica, acarretando, desta maneira, sequelas por vezes indesejáveis, incômodas, ou ainda pior: irreversíveis. Portanto, independentemente do local, onde você planeje começar a se exercitar, não se arrisque tanto. Procure um ortopedista, personal trainer ou algum profissional da área de saúde para obter melhores informações sobre sua condição física, além de conselhos que lhe ajudem a conhecer o funcionamento e limite de seu corpo, cuidando dele por meio de um exercício seguro e sempre tendo a certeza de que a energia gasta no treino volte como benefício à saúde.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).