11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

7 dicas para perder o medo de cirurgia plástica

Dicas para perder medo de cirurgia plástica

Medo de cirurgia plástica pode ser superado com a busca de informações de qualidade sobre procedimento

O Brasil é o país que mais realiza procedimentos estéticos no mundo, mas ainda assim muitas pessoas têm medo de cirurgia plástica, retardando ou abrindo mão do sonho de uma aparência mais desejada.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) o Brasil teve um aumento de 25% na procura por intervenções cirúrgicas entre 2016 e 2018.

Dessa forma, o país já alcança a marca de mais de 1,7 milhão de cirurgias plásticas realizadas anualmente, com destaque para mamoplastia de aumento, lipoaspiração e dermolipectomia abdominal.

Ainda assim, não são poucas as pacientes que adiam ou mesmo desistem da intervenção estética por medo.

Como perder o medo de cirurgia plástica?

Nós sabemos que ao se dispor voluntariamente a uma cirurgia, principalmente quando o foco são as características estéticas e não funcionais, há um receio e o medo de que algo dê errado ou os resultados não fiquem como o desejado.

Pensando nisso, a seguir apresentamos 7 dicas que podem contribuir na superação desse medo relacionado à uma intervenção cirúrgica.

1. Procurar um profissional especializado

A cirurgia plástica difere de outras intervenções por ter preocupações tanto estéticas quanto funcionais durante o planejamento e execução, de forma que a seleção de um especialista é essencial para maior segurança no procedimento e resultados.

Ao escolher um profissional membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) a paciente já tem uma segurança adicional.

Além disso, o cirurgião plástico especializado é o profissional mais apto para avaliar as condições físicas e estéticas da paciente, fazendo recomendações mais certeiras sobre a intervenção.

Nesse sentido, o cirurgião plástico fará recomendações relacionadas à técnica cirúrgica selecionada, características da intervenção e pode sugerir, até mesmo, outra cirurgia do que a pensada inicialmente pela paciente, de acordo com as expectativas dela.

2. Não subestimar o pré-operatório

O pré-operatório da cirurgia plástica é útil por uma série de motivos, entre eles está que a paciente que se dedica corretamente a essa fase pode sentir-se mais segura e confiante na realização de uma intervenção estética.

Durante o pré-operatório são realizados exames físicos e laboratoriais para determinar se a condição de saúde da paciente a torna apta para uma intervenção cirúrgica.

Além disso, é feito o planejamento da cirurgia, com informações detalhadas sobre o passo a passo da execução cirúrgica e outras questões relevantes.

Por fim, o médico faz recomendações que vão contribuir na recuperação da paciente, de forma que conhecer e atender essas indicações pode ajudar a manter a calma nesse momento.

3. Tirar todas as dúvidas antes

Durante as consultas iniciais com o cirurgião plástico é importante que a paciente esclareça ao máximo as dúvidas que tem e que podem aumentar o medo de cirurgia plástica. Entre elas podem ser destacadas:

  • tipo de anestesia e riscos;
  • composição da equipe médica responsável;
  • tipo e local da incisão cirúrgica;
  • período de internação;
  • contraindicações da cirurgia;
  • possíveis riscos e complicações.

É relevante que a paciente tenha a disposição o máximo possível de informações, mesmo aquelas relacionadas aos riscos, pois apenas ponderando todos os fatores poderá definir se a escolha é a melhor para ela.

Dicas para perder o medo de cirurgia plástica

4. Pesquisar muito sobre o assunto

Atualmente, a internet é uma aliada na busca por informações sobre diferentes temas, mas é preciso ficar atenta para que dados equivocados não aumentem o medo de cirurgia plástica.

A recomendação é buscar sites de confiança, como o da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e também páginas de cirurgiões plásticos de confiança.

Nesses canais confiáveis, pesquise informações sobre as diferentes etapas da cirurgia plástica, desde o pré-operatório até a recuperação.

Lembre-se que essas informações não substituem a conversa, avaliação e ponderações apresentadas pelo cirurgião plástico, sendo sempre necessário confiar no médico escolhido.

5. Conversar com outras pessoas que fizeram a mesma cirurgia

Uma das formas de amenizar a insegurança e o medo da cirurgia plástica é conversar com pessoas que realizaram o mesmo procedimento anteriormente.

Essa opção fornece uma visão mais realista sobre a realização de uma cirurgia plástica, mostrando as etapas de preparação para o procedimento, como ele é feito e também mais informações sobre o pós-operatório e resultados.

É importante que essa conversa não seja tida como uma “verdade absoluta”, pois a diferença entre cirurgiões plásticos e aspectos individuais do caso podem alterar etapas e mesmo a técnica usada, mas ainda assim o diálogo é positivo para esclarecer dúvidas e controlar os receios.

6. Evitar tomar essa decisão por impulso

A realização de uma cirurgia plástica deve ser considerada a partir de diferentes fatores, como estéticos, financeiros, pessoais e outros.

Dessa forma, quanto mais a pessoa reflete sobre o assunto e informa-se sobre o tema, mais segurança ela sente para fazer a cirurgia, controlando o medo associado.

Uma decisão impulsiva também pode prejudicar os resultados alcançados, visto que não houve o preparo correto e a paciente não avaliou diferentes aspectos, como a qualificação do cirurgião plástico ou tempo de repouso.

7. Saber como será o pós-operatório

Muitas pacientes têm um medo específico relativo à cirurgia em si, mas outras também têm medo do pós-operatório, pois ficam preocupadas em relação à dor, complicações, sangramentos, edemas, entre outras ocorrências.

A principal estratégia para superar esse medo é informar-se sobre todas as etapas, o que inclui o pós-operatório da cirurgia plástica.

Conhecendo desde o início do processo os riscos e complicações possíveis e outras informações fica mais fácil fazer um planejamento adequado do pós-operatório, o que inclui tempo de repouso, medicações, mudanças na alimentação, uso de cintas pós-cirúrgicas etc.

Um bom pós-operatório reduz, por exemplo, as chances de complicações e também pode entregar um melhor resultado estético devido à qualidade da cicatrização.

Dessa forma, a atenção a essa fase pode ajudar a acalmar uma paciente que esteja mais nervosa ou ansiosa em relação à realização da cirurgia plástica.

Portanto, ressaltamos que a busca por informações confiáveis e de qualidade, preferencialmente com um cirurgião plástico especializado e de confiança, é a principal forma de diminuir o medo de cirurgia plástica.

 

Agende agora a sua consulta!

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).