11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Ginecomastia: conheça a cirurgia para a diminuição da mama masculina

Veja o que é a ginecomastia

Descubra o que é a ginecomastia e quando a cirurgia é indicada

A ginecomastia, na verdade, é o nome dado ao crescimento anormal de mamas masculina, só depois se tornando o nome do procedimento cirúrgico estético que repara esta condição. Este crescimento anormal está relacionado ao excesso de tecido mamário e não de gordura, não dependendo dos hábitos pessoais para o problema surgir. A ginecomastia pode se desenvolver em qualquer período da vida, sendo mais comum no período da puberdade masculina.

Na puberdade é normal que as mamas cresçam por causa dos hormônios em um período de seis meses, mas depois disso, naturalmente, voltam ao tamanho normal. Contudo, em aproximadamente 5% dos casos a hipertrofia mamária continua até a vida adulta, criando a necessidade de recorrer à intervenção cirúrgica de redução. Outra idade em que a ginecomastia aparece com frequência é nos idosos com mais de 70 anos.

Como a ginecomastia é realizada?

Existem três tipos de ginecomastia: glandular, quando o excesso de tamanho ocorre na glândula mamária; a gordurosa, por excesso de gordura no local; mista, ocorrendo na glândula mamária e no tecido gorduroso da região. Com isso, a cirurgia acontece em duas etapas: primeiro com a lipoaspiração do excedente de gordura e segundo com a retirada dos excessos de glândula mamária.

Complicações são bastante raras neste tipo de procedimento estético, sendo hematomas e problemas com a cicatrização as ocorrências mais comuns no pós-operatório. A cirurgia dura em torno de uma hora e meia, podendo variar conforme a complexidade do caso, sendo necessário apenas 12 horas de internação depois da realização do procedimento e não sendo preciso retirar os pontos.

Quais são as causas desta condição?

Como vimos, a ginecomastia pode ser um processo natural do corpo masculino, não dependendo dos hábitos cotidianos da pessoa. Porém, existem algumas condições que são relacionadas a hipertrofia mamária, tornando necessário uma investigação mais profundada das causas para indicar um tratamento mais adequado. A obesidade representa um dos maiores motivos de ginecomastia em adultos.

Outras questões como alteração endócrinas, finasterida, uso de hormônios e anabolizantes, síndrome de Klinefelter e hipopituitarismo, por exemplo, podem ser identificados como os motivos pelos quais a hipertrofia mamária ocorre em idades que não são comuns. É importante que o diagnóstico seja feito com precisão pelo cirurgião escolhido para a condução da ginecomastia, já que em alguns casos, tratamentos específicos precisam ser receitados e realizados pelo paciente.

Se você quiser tirar mais dúvidas sobre o assunto, agende uma consulta com a Dra. Luciana Pepino! Além de ser referência no assunto, ela ainda vai fazer uma análise completa caso a caso. Está esperando o que para dar um up na sua autoestima?

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).