11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Lobuloplastia: Saiba como resolver de uma maneira simples e rápida o lóbulo rasgado

mulher com brinco pesado na orelha

O uso de brincos muito pesados e alargadores pode resultar no rompimento do lóbulo da orelha. Felizmente, esse problema tem solução fácil

O lóbulo rasgado, também chamado de lóbulo de orelha bífido, é uma possível consequência do uso constante de alargadores de orelha, brincos muito pesados ou mesmo algum acidente que tenha causado uma lesão neste local.

Os brincos fazem parte da composição do look feminino, sendo um acessório de grande valor para a maior parte das mulheres. Porém, a moda dos brincos em tamanho grande não leva em consideração a anatomia da orelha, causando traumas na região. Em algumas ocasiões, mesmo que não haja uma laceração completa, o furo se torna tão grande que a tarraxa passa por ele, e os brincos acabam caindo.

E isso, é claro, também pode acometer os homens: embora eles costumem optar por piercings e brincos menores, o problema também pode acontecer devido ao uso de alargadores (usado igualmente pelas mulheres). Além disso, o rasgo no lóbulo também pode acontecer pelo uso de vários piercings ou brincos simultaneamente.

Os brincos pesados e os alargadores causam um efeito de distensão do tecido do lóbulo da orelha. Com o tempo, essa pressão pode acabar rasgando o tecido, resultando na laceração completa do lóbulo. Isso aconteceu inclusive com a repórter e apresentadora Glória Maria, da Rede Globo, que teve seu lóbulo rasgado durante a exibição de um programa ao vivo.

Apesar de este não ser um problema de saúde grave, o lóbulo rasgado traz consequências emocionais e psicológicas. Como os brincos são muito valorizados na aparência feminina, muitas mulheres se sentem deprimidas por não poderem mais utilizar este acessório. Além disso,  homens e mulheres que usaram alargadores no passado e não se identificam mais com o acessório atualmente se sentem constrangidos ao exibir o lóbulo lesionado, pois o furo não faz mais parte de sua personalidade.

orelha antes e depois de uma lobuloplastia

Lobuloplastia: a cirurgia plástica para corrigir o lóbulo rasgado

Felizmente, existe solução para este problema: trata-se da lobuloplastia, uma cirurgia plástica reparadora capaz de corrigir furos que se alargaram demais (fenda parcial) ou lóbulos que foram completamente rasgados (fenda total). Existem várias técnicas para a realização desta cirurgia, sendo que a mais indicada para o seu caso será escolhida pelo médico de forma a atender melhor as expectativas do paciente.

Entre os objetivos da cirurgia, estão a correção dos rasgos, a formação de cicatrizes discretas de forma a poder acomodar novos brincos e alargadores e, se necessário e desejado, a diminuição do lóbulo da orelha, que dá um efeito de rejuvenescimento ao paciente.

Na maior parte dos casos, a cirurgia é feita com anestesia local, geralmente sem necessidade de sedação, e sua duração é de cerca de 30 minutos. O paciente recebe alta no mesmo dia, aproximadamente uma hora depois do procedimento, podendo voltar ao trabalho e retomar as atividades físicas no dia seguinte.

Recuperação da cirurgia para corrigir lóbulo rasgado

Em geral, a recuperação não é muito dolorosa, mas podem surgir inchaços e manchas roxas no local operado. Pode ser necessário o uso de curativo durante um ou dois dias, mas a região permanecerá exposta depois desse tempo.

Os pontos são retirados em torno de 10 dias depois da cirurgia. Se durante este período for necessário disfarçar os pontos em uma ocasião social, por exemplo, o paciente poderá utilizar uma fita adesiva para cobri-los. É recomendável evitar a exposição ao sol por 30 dias.

Como fica a cicatriz da lobuloplastia?

A cicatriz da cirurgia de reconstrução do lóbulo rasgado corresponde à sutura para fechar o furo. Ela será visível no local do rasgo, mas o cirurgião plástico fará o possível para que seja o mais discreta possível.

No começo, a cicatriz será avermelhada, e sua coloração se aproximará da cor da pele com o passar do tempo. O resultado final só poderá ser avaliado seis meses depois da cirurgia, quando a cicatriz estiver bem acomodada ao nível da pele, tornando-se quase imperceptível.

As complicações possíveis são a formação de queloides, alteração da coloração e a elevação da cicatriz. Esses problemas podem ser tratados pelo cirurgião plástico.

Vou poder usar brincos de novo após a lobuloplastia?

Muito provavelmente, sim! Depois que tirar os pontos, o paciente já pode usar brincos de pressão.

Para fazer uma nova perfuração na orelha, será necessário aguardar 6 semanas depois da cirurgia – esse tempo pode variar de pessoa para pessoa e somente o cirurgião plástico poderá liberar o novo furo. É importante que o novo furo não seja feito exatamente em cima da cicatriz.

No caso dos alargadores, recomenda-se escolher um acessório com diâmetro menor do que o anterior para que ele não exerça pressão na área operada e acabe rasgando o lóbulo novamente.

Como evitar que o lóbulo rasgue novamente

Se a sua orelha rasgou e você optou por fazer a cirurgia de correção, agora é necessário ter ainda mais cuidados para que o problema não aconteça novamente. A primeira medida é evitar o uso frequente de brincos muito pesados, assim como de alargadores muito grandes.

Caso esteja usando brincos grandes e chamativos, tenha cuidado ao lidar com crianças pequenas, pois as peças despertam interesse nos bebês, que podem acabar puxando os acessórios. Tenha cuidado extra ao colocar ou tirar blusas (de preferência, faça isso sem os brincos) e ao utilizar o telefone, de forma a evitar que os brincos enrosquem no aparelho.

Lembre-se de retirar os brincos antes de dormir, praticar atividades físicas ou mesmo ao ir ao salão de beleza. Por fim, mantenha a higiene do local em dia para evitar infecções.

mulher com brincos pesados na orelha

Você também pode gostar de: Cirurgia Plástica no rosto: Conheça os procedimentos que podem ser realizados em busca de um rosto perfeito

Saiba mais em: Cirurgia Plástica

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).