Carboxiterapia: tratamento rápido e seguro para dar um up! na sua autoestima

A perfeição pode não existir, mas não é por isso que a gente vai abrir mão de consertar o que está errado e dar um jeito no que está esquisito. Pensando nisso, quantas vezes você já não imaginou um tratamento amplo o suficiente para tratar da celulite à calvície? E que fosse um procedimento basicamente natural, estimulando o próprio organismo a resolver “seus probleminhas”? A carboxiterapia é mais ou menos isso, ela dá uma levantada na autoestima feminina ajudando a eliminar aquela gordurinha localizada irritante, reduzindo a celulite e ainda manda rugas e olheiras para bem longe. Para os homens, o tratamento – que consiste em injetar gás carbônico embaixo da pele ou no tecido adiposo – pode ajudar a evitar a calvície. Tudo isso de uma forma natural, fazendo com que o oxigênio aumente o fluxo sanguíneo, levando mais nutrientes para o tecido aplicado.

 

Tratamento melhora a circulação sanguínea no local da aplicação

 

Que fique bem claro, no entanto, que ninguém está falando em milagres. A carboxiterapia melhora o aspecto da pele, reduz a flacidez inclusive das pálpebras e ainda corrige irregularidades de lopoaspirações, cicatrizes e estrias na medida em que, melhorando a circulação sanguínea, estimula também a produção de colágeno. Aí sim, a pele fica rejuvenescida e as olheiras diminuem, por exemplo. Outro ponto positivo da carboxiterapia é que não há necessidade de se afastar muito da rotina: o período de repouso é bastante curto e sequer há necessidade de internação.

 

Substância usada no tratamento é produzida pelo próprio organismo

 

O tratamento é natural na medida em que é feito com uma substância que o próprio organismo produz e, portanto, não há contraindicações. Quem tem problemas pulmonares ou renais, no entanto, devem passar por uma avaliação feita por um especialista antes de começar o tratamento. Já as grávidas devem apenas adiar um pouquinho o procedimento, até que deixem de amamentar. O tratamento, na realidade, é bastante simples: as injeções de gás carbônico na realidade promovem mais oxigenação no local, que passa a receber mais nutrientes.

 

Carboxiterapia começou a ser usada em 1922

 

Uma das aplicações iniciais do tratamento, por exemplo, foi justamente em pacientes com problemas de vascularização como forma de reduzir úlceras nas pernas – isso em 1922. Desde então várias aplicações estéticas foram sendo descobertas e amplamente utilizadas. A quantidade de sessões e a frequência dependem muito da área que será tratada. Para os problemas de celulite, por exemplo, a média é de duas a três aplicações semanais totalizando dez sessões – sendo que a partir da quinta os resultados já são bastante visíveis. O desconforto também é bem pequeno: a área fica dolorida no momento da aplicação, mas logo desaparece tão logo a injeção termina. Bom, natural e simples. A melhor forma de saber se a carboxiterapia é o tratamento ideal para o seu caso, no entanto, é consultando um especialista.

 

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).
  1. rosmari perella guerra disse:

    Gostaria de saber aonde fazem esse tratamento