11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Como Controlar a Fome no Inverno

como-controlar-a-fome-no-inverno-luciana-pepino

As temperaturas diminuem e a fome aumenta! Saiba como diminuir a fome. Você pode!

Os termômetros caem, os casacos saem do armário e fica mais difícil sair da cama – é o inverno que está dando as caras!

Com a chegada do frio, você sabe o que acontece: aumenta a nossa vontade de comer e fica mais difícil controlar a ingestão de alimentos. Em consequência, acabamos chegando à primavera com umas gordurinhas a mais acumuladas na cintura.

fome-no-inverno-luciana-pepino

Nos dias mais frios, nossas preparações na cozinha ficam mais encorpadas, com ingredientes que oferecem mais carboidratos e gorduras, de forma a satisfazer a necessidade que sentimentos de desfrutar de uma refeição quentinha – afinal, nada melhor do que uma comidinha reconfortante depois de um dia gelado, não é mesmo?

Com isso, as saladas e as frutas, que são tão importantes para a nossa alimentação, acabam sendo deixadas de lado, pois elas não são mais tão apetitosas quanto no verão.

Isso tudo, é claro, ainda se soma à dificuldade de manter uma rotina de exercícios no inverno.

É bem mais difícil pular da cama cedo para ir à academia, o corpo parece doer com o frio, os músculos ficam mais travados… Aí, comendo mais e se exercitando menos, não tem jeito. A gente acaba engordando.

Porém, existem alguns truques que podemos seguir para diminuir essa sensação de fome constante que sentimos no inverno e pelo menos manter a silhueta até a chegada de dias com temperaturas mais amenas. Confira as dicas:

Modifique a preparação dos vegetais

Tudo bem, a gente sabe que é mais difícil comer salada naqueles dias gelados, quando tudo o que você queria era uma boa massa cheia de molho e muito queijo ralado por cima.

Porém, os vegetais continuam sendo importantíssimos para a nossa saúde, já que fornecem muitas vitaminas e minerais.

Além disso, o consumo de vegetais é essencial para a manutenção do peso – afinal, eles contêm fibras, que dão a sensação de saciedade e evitam com que a gente coma em excesso, e ainda regulam o funcionamento do intestino.

Para manter a ingestão das porções diárias de vegetais, você pode trocar as saladas frias, que ficam menos convidativas, por vegetais refogados.

Algumas boas opções são couve, brócolis, couve-flor, cenoura, chuchu e abobrinha, por exemplo, que podem ser regados com um pouco de azeite e temperados com cheiro-verde e outros temperos que você gosta.

Lembre-se de não exagerar no sal e de evitar molhos gordurosos.

Lembre-se de incluir as frutas no cardápio

Assim como acontece com as saladas, as frutas também ficam menos apetitosas no inverno, e é bem mais difícil cair na tentação de comer um brownie de chocolate com calda.

O excesso de açúcar, porém, além de favorecer o acúmulo de peso, ainda vai aumentar ainda mais a sua fome, pois esses alimentos têm alto índice glicêmico.

Para facilitar o consumo das frutas nos dias mais frios, dê preferência àquelas que você pode consumir aquecidas, como maçã, banana e pera.

Corte a fruta em pedacinhos, polvilhe canela e coloque-a para assar ou, então, aqueça por alguns minutos no micro-ondas.

É importante também persistir no consumo das frutas cítricas, que são ricas em vitamina C, como a laranja, o limão, a acerola e a tangerina, que ajudam a evitar resfriados e melhoram a nossa imunidade.

Mantenha a ingestão de líquidos

No verão, sentimos muito mais sede do que no inverno, então é bem mais fácil ingerir a quantidade de água recomendada diariamente (de 2 a 3 líquidos).

Nos dias frios, porém, sem sentir calor e sem suar, sentimos menos sede e acabamos nos esquecendo de seguir essa recomendação.

Apesar disso, a água é essencial para o nosso organismo, pois as reações químicas do nosso organismo acontecem em meio aquoso.

Além disso, na falta de água, o funcionamento do nosso sistema digestivo é prejudicado, assim como a eliminação de toxinas. Isso sem contar que, algumas vezes, a sensação de sede é confundida com a de fome, o que nos leva a comer sem necessidade.

Para ajudar a complementar sua ingestão de água, aproveite as temperaturas baixas para tomar muito chá bem quentinho, de preferência feito direto das folhas e raízes e que tenha propriedades termogênicas, como o chá verde e o chá de gengibre.

As sopas são excelentes opções

Sabe aquela vontade de comer algo bem quentinho quando você chega em casa depois do trabalho? Pois as sopas são perfeitas para saciar esse desejo, principalmente se você fizer escolhas saudáveis na hora de prepará-las.

Esses pratos são uma boa oportunidade para você incluir verduras e legumes que ficaram meio de lado na hora do almoço por serem gelados, como cenoura, vagem, chuchu e abobrinha, e aumentar sua ingestão diária de fibras.

Na hora de optar por um carboidrato, fique com apenas um ingrediente entre arroz integral, massa integral, batata, mandioquinha ou aipim, para não aumentar muito a quantidade de calorias por porção.

Escolha também uma fonte de proteína magra, como o peito de frango desfiado, para aumentar a saciedade.

Evite adicionar embutidos como linguiças e salames e regule a quantidade de sal. Dê preferência a outros temperos, como o gengibre e a pimenta-do-reino, que ainda ajudam a aquecer o corpo e a queimar calorias.

Lembre-se de controlar também a quantidade de queijo ralado que você adiciona e de optar por torradas integrais ou light para acompanhar a sopa.

***

O inverno realmente é um período em que sentimos mais fome, e é praticamente impossível ignorar essa sensação. Portanto, para evitar cair em tentação, é preciso lançar mão de alguns truques que ajudem você a se sentir satisfeita ao mesmo tempo em que você consome todos os nutrientes necessários para a sua saúde e sem prejudicar a silhueta.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).