11 3285-6412
Dra. Luciana L. Pepino / Diretora Técnica Médica
CRM/SP: 106.491 RQE: 25827
Segunda a Sexta-Feira
das 10h às 19h

Para eles: Coque masculino

homem com coque masculino

O coque masculino ressurgiu das cinzas e foi trazido para o mundo das passarelas, tendo se tornado uma febre no mundo inteiro. Veja como fazer e outras curiosidades sobre este penteado!

O coque masculino, mais conhecido como Top Knot – ou coque samurai – é um estilo de penteado masculino que começou de forma tímida mas que em pouco tempo ganhou as passarelas da moda e se difundiu pelo globo. Atualmente, neste ano de 2015, o Top Knot já pode ser visto nas ruas das grandes cidades e em personalidades do cinema, da música e do esporte, por exemplo, sendo muito criticado por alguns homens e virando paixão para outros, que já adotaram o coque em seu dia a dia. Se você tem cabelos mais longos e está interessado em aderir ao coque, o ideal é ver primeiro se este penteado vai cair bem em você e, principalmente, no seu estilo de se vestir. Mas, em geral, o coque costuma ser bem universal e cabe em qualquer ocasião, desde a casual à mais classuda.

Para quem achou que o coque masculino era uma moda passageira, está totalmente por fora da real essência deste penteado. O coque é mais antigo do que imaginamos, com registros da época das antigas batalhas dos samurais japoneses. Naquela época, o coque era usado por antigos guerreiros orientais, sendo um estilo de vida, dogma, religião e uma forma alternativa de enxergar o mundo ao redor. Além disso, há registros deste tipo de penteado em diferentes classes sociais e incorporado a um outro fenômeno épico: a barba longa, que também está em alta entre os homens do século 21. O fato é que este tipo de penteado apresenta um estilo mais radical e irreverente que consegue deixar o homem mais atraente, moderno e dentro das tendências atuais. Quer tentar fazer? Por que não?

Veja como fazer o coque masculino:

Vamos ao passo a passo de como fazer o famoso coque. Antes de mais nada você precisa ver qual deles combina melhor com o seu tipo de rosto, cabelo e, claro, ver qual deles te deixa mais à vontade consigo mesmo. Existem dois tipos: coque alto e coque baixo. Há ainda o coque undercut, para os que gostam de se arriscar mais. No undercut, corta-se todo o cabelo da parte inferior do cabeça.

Coque alto
Este tipo de coque exige maior comprimento do cabelo. Antes de fazer o coque, faça uso de uma pomada para deixar os fios bem alinhados. Em seguida, junte os fios e crie uma espécie de nó. Você vai então precisar de três grampos para enfiar no interior do coque e fixar o penteado. Se você tiver dificuldades para fazer o nó, também é possível enrolar o cabelo no alto do couro cabeludo e fixa-lo com a ajuda de grampos, sem a necessidade de fazer o nó, sem assim for preferível.

Coque baixo
Este tipo de coque é mais casual e serve principalmente para o dia a dia, também por ser mais fácil de fazer. Sinta-se à vontade para fazer uso de fixadores, que ajudam a manter o penteado por mais tempo, deixando-o mais firme e estilizado. Comece com um rabo de cavalo – aquele simples feito nas mulheres – e, feito isso, prenda o cabelo nas mãos, passando o elástico e, quando for dar a segunda volta, não complete-a. Agora basta puxar um pouco dos fios e fazer o coque, deixando-o semi preso.

Com qual tipo de roupa mais combina?

Este estilo de penteado combina basicamente com qualquer look, desde este seja equilibrado para a ocasião. Para eventos mais formais, o coque alto se destaca com ternos, gravatas e calças sociais. Se a ocasião pedir por um look mais casual, o coque baixo é mais fácil de ser feito e fica bem tanto com combinações mais básicas como bermuda, calça jeans e camiseta ou regata, como com combinações mais despojadas e modernas. Isso não significa que o coque alto também não seja apropriado. Já se o coque for o undercut – aquele com a parte inferior do cabelo raspado – aí o ideal é abusar no estilo e optar por peças mais coloridas, com estampas e jaqueta jeans, por exemplo. No entanto, o grande trunfo do coque é que ele se adapta a um grande leque de estilos.

Saiba que todo procedimento envolve riscos. Consulte sempre um médico.

Autor do Conteúdo

Foto DR. Luciana

| DRA. LUCIANA LEONEL PEPINO


CRM-SP 106.491 | RQE: 25827

  • Membro Especialista em Cirurgia Plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica - SBCP.
  • Residência em Cirurgia Plástica no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Residência médica em Cirurgia Geral no Hospital Universitário São José – Belo Horizonte (MG).
  • Formada em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais – Belo Horizonte (MG).